O Benfica empatou (1-1) no António Coimbra da Mota frente ao Estoril em partida a contar para a 10.ª jornada da I Liga. Com este resultado, há mudança de líder na I Liga.

Os encarnados chegaram à vantagem logo à passagem do minuto 2´, depois de um golo de Lucas Veríssimo. Ao minuto 90, o Estoril chegou ao empate depois de um golo de Rosier. Com este resultado, os encarnados deixaram a liderança da I Liga que agora é ocupada por Sporting e FC Porto.

Veja o resumo da partida

Tinha todos os condimentos para ser um dos jogos mais interessantes da jornada. Benfica, líder da tabela, frente à grande sensação da prova, o Estoril. A equipa da linha seguia logo atrás dos crónicos candidatos - na quarta posição - e defrontava as águias num momento particularmente positivo: Para o Benfica tratava-se do segundo jogo na condição de visitado da equipa de Jorge Jesus no espaço de uma semana para o campeonato. Isto depois do empate frente ao V. Guimarães (3-3) e a vitória pela margem mínima frente ao Vizela. Quando à equipa estorilista somava duas vitórias consecutivas a coroar o excelente momento de forma.

O desafio da equipa de Jorge Jesus era por isso de grau de dificuldade elevado, um obstáculo que teria que ser ultrapassado face à perseguição sem tréguas ao líder, de Sporting e FC Porto. Ainda assim, mesmo no António Coimbra da Mota, a história jogava contra o Estoril que há 70 anos que não vencia o conjunto encarnado.

Para o embate da 10.ª jornada, a equipa do Benfica manteve a mesma matriz, com Jorge Jesus a proceder apenas a uma alteração. Radonjic estreou-se a titular pelos 'encarnados' em jogos do campeonato, depois da boa prestação em Guimarães, para a Taça da Liga. Foi de resto a única alteração nos encarnados em relação ao embate em Vizela da 9.ª jornada. Na equipa estorilista, entrou André Clóvis na frente de ataque para o lugar de Rui Fonte que nem se sentou no banco devido a lesão.

O encontro iniciou com um estrondo com os festejos madrugadores do Benfica. No relógio que ditava o tempo no António Coimbra da Mota nem sequer marcavam dois minutos, quando Lucas Veríssimo abriu a contagem. Era o início de rompante do Benfica a querer sacudir a pressão, depois do empate a três em Guimarães para a Taça da Liga. Canto de João Mário e o central ao segundo poste a desviar de cabeça nas alturas e a inaugurar o marcador.

Um golo madrugador faz maravilhas no moral de quem entra a ganhar, mas também pode estragar os planos de quem não contava ver-se tão cedo em desvantagem no marcador. Timidamente, mas jogando de pé para pé, os donos da casa tentaram responder. André Clóvis tentou criar frisson num cruzamento, mas sem no entanto encontrar nenhum dos companheiros de equipa.

Agitadas as águas após a mexida do marcador, o encontro entrou numa toada lenta e pachorrenta e jogada a um ritmo de treino. Sem conseguir penetrar na área estorilista no último terço, a equipa de Jorge Jesus tentou recorrer cedo à meia distância, são exemplos os remates de Weigl (8´) e Rafa (20´) parados por Dani Figueira.

A equipa orientada por Bruno Pinheiro procurou reagir ao golo, mas sem grande esclarecimento, com os remates e as tentativas de ataque a não colocarem em xeque Vlachodimos.

O Benfica foi por isso para o descanso a cumprir serviços mínimos, apenas isso. Na etapa complementar, Jesus deixou Yaremchuk no balneário lançando Gonçalo Ramos. O início da segunda parte começava por dar um bom indicador ao quarto classificado na liga, depois de um grande pontapé de Lucas Áfrico, o primeiro remate enquadrado do conjunto da casa em todo o jogo até aquele momento. Na resposta, Darwin teve à disposição excelente oportunidade após passe de Grimaldo, mas não conseguiu finalizar da melhor forma. A desinspiração de Darwin valeram-lhe a substituição, depois de um jogo menos conseguido. Entravam Diogo Gonçalves e Cebolinha, com Radanjic, também a não justificar a aposta, a ser rendido.

Com o Estoril a subir linhas à procura do empate, o Benfica tinha mais espaço nas costas para explorar. Foi por essa altura que construiu algumas das suas melhores jogadas em todo o jogo. Destaque para uma que teve Gonçalo Ramos como protagonista. O jogador das águias driblou Joãozinho, tentou servir Grimaldo que não conseguiu emendar. Minutos antes, Lucas Veríssimo numa combinação com Rafa, rematou rasteiro com a bola a morrer nas mãos de Dani Figueira. Aos 68´, foi João Mário a rematar por cima. Com o Benfica a não conseguir dilatar, o Estoril criou perigo, num cruzamento remate de Arthur numa excelente defesa de Vlachodimos.

Face ao pressing final estorilista, Jesus lançou Meité e Pizzi para os lugares de João Mário e Rafa. Mas já em tempo de compensação acabou por ser a equipa da casa a chegar ao empate. Rosier empatou o jogo num remate de cabeça após pontapé de canto batido por André Franco. O empate custa dois pontos ao Benfica e a liderança da Liga, desvantagem de um ponto face a Sporting e FC Porto.

Confira a classificação

*Artigo atualizado com o resultado do Sporting-V.Guimarães

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.