Vinte e dois triunfos são a vantagem que o Benfica tem sobre o Sporting, após a realização de 302 duelos para todas as competições, em vésperas de novo confronto, no sábado, para a I Liga de futebol.

Ao longo de mais de 110 anos e mais de três centenas de encontros, entre campeonato, Taça de Portugal, Taça da Liga, Supertaça, Campeonato de Portugal e Regional de Lisboa, os 'encarnados' somam 130 vitórias, contra 108 dos 'leões', a que se juntam ainda 64 empates.

O dérbi lisboeta disputou-se pela primeira vez em 1 de dezembro de 1907 e os 'leões' acabaram a década de 50 do século passado na liderança do histórico, mas, nos anos 60, o Benfica assumiu o comando e não mais parou de se distanciar.

Desde essa altura, o Sporting só conseguiu equilibrar a balança na primeira década do século XXI, mas não conseguiu manter a toada, já que, desde 2010/11, 'manda' claramente o Benfica, com 10-4 em vitórias e 27-18 em golos.

Com Eusébio em destaque, o Benfica também comanda nos golos, liderado pelos 27 do 'rei', ao totalizar 507, face aos 464 dos 'leões', quase meia centena, mais precisamente 48, da autoria de Fernando Peyroteo, o melhor marcador da história do dérbi.

O Benfica domina a história dos confrontos e a derrota mais recente remonta à época 2015/16, temporada em que os 'leões' bateram as 'águias' por três vezes: 2-1 na Taça de Portugal, 3-0 para o campeonato, na Luz, no regresso de Jorge Jesus ao recinto que tinha sido a sua casa por seis anos, e 1-0 logo em agosto, no primeiro jogo oficial da época, a Supertaça.

Mesmo assim, ainda em 2015/16, a vitória mais 'saborosa' viria a ser do Benfica, que, com um triunfo em Alvalade por 1-0, 'selado' pelo grego Mitroglou, assumiu a liderança do campeonato, que acabaria com a conquista do 'tri', com um recorde de 88 pontos.

Na época passada, os 'encarnados' salvaram-se da derrota em cima do apito final, graças a uma grande penalidade convertida por Jonas, depois de Gelson ter marcado para o Sporting, ainda na primeira metade.

No que respeita apenas ao campeonato, a vantagem do Benfica é ainda mais expressiva, com 77 vitórias, contra 47 do Sporting, graças ao equilíbrio nos jogos realizados no recinto dos 'leões', onde os anfitriões só venceram mais um jogo.

Os 'encarnados' também estão por cima na Taça da Liga (duas vitórias contra nenhuma), enquanto o Sporting lidera na Taça de Portugal (18-15), no Campeonato de Portugal (3-2), no Regional de Lisboa (37-33) e na Supertaça (3-1).

A equipa sportinguista ganhou os dois jogos inaugurais, o primeiro em 01 de dezembro de 1907, por 2-1, face ao ainda Sport Lisboa, no Campo da Quinta Nova, em Carcavelos, onde, segundo as crónicas da altura, os seus jogadores fugiram da chuva e só voltaram obrigados pelo árbitro.

Apesar desse desaire, os 'encarnados' ganharam (4-2) o conjunto dos poucos jogos (seis) realizados na primeira década do século XX, assumindo uma superioridade ainda maior na segunda, com 13 triunfos, contra apenas cinco dos 'leões'.

As 'águias' chegaram a ter mais 10 vitórias, só que o Sporting respondeu: foi melhor nas quatro décadas seguintes e no final da temporada 1949/50 já tinha dado a volta ao histórico (56 triunfos, contra 54).

O melhor período do Sporting foi a década de 40, com mais de 50% de vitórias (21, em 40) e 101 golos - recorde em qualquer década -, em pleno reinado dos 'cinco violinos' (Peyroteo, Vasques, Albano, Travaços e Jesus Correia).

Depois, o clube da Luz passou a dominar por completo e reinou nas quatro décadas seguintes, sobretudo na de 70, ainda com o 'pantera negra' Eusébio da Silva Ferreira a ditar leis: 15 triunfos em 27 jogos (55,6 por cento).

O Sporting equilibrou na primeira década do século XXI (oito triunfos para cada lado e outros tantos empates), mas, na segunda, a liderança do Benfica é, para já, clara, com 10-4 em vitórias e 26-17 em golos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.