O Benfica divulgou o Relatório e Contas Consolidado da época passada onde revela quanto pagou pelos reforços contratados antes de 30 de junho de 2018.

No mesmo relatório, é possível constatar que o clube da Luz gastou quatro milhões de euros na contratação de Facundo Ferreyra, avançado argentino, que chegou à Luz após terminar o seu contrato com o Shakhtar Donetsk. A verba diz respeito ao prémio de assinatura e ainda a comissão de intermediação do negócio.

Dos reforços que chegaram à Luz antes de 30 de junho de 2018, destaque para Nicolás, Castillo, o mais caro de todos. Ao todo, o avançado chileno de 25 anos custou 7,87 milhões de euros aos cofres da SAD, entre passe do jogador, serviços de intermediação, prémio de assinatura e plano de pagamento futuros.

Os nomes de Gabriel, Corchia e Ebuehi, não surgem no Relatório e Contas Consolidado, já que foram contratados depois de 30 de junho de 2018.

Os custos dos reforços que chegaram à Luz antes de 30 de junho de 2018

Mile Svilar: 4,5 ME (por 90 por cento do passe e ainda comissões e prémio de assinatura)

Odysseas Vlachodimos: 2,4 ME (passe e comissão de agentes)

Germán Conti: 4,7 milhões de euros (passe, comissão e plano de pagamento futuros)

Alfa Semedo: 2,5 ME (por metade do passe, já que os restantes 50 por cento estavam na posse do Benfica)

Facundo Ferreyra: 4,08 ME (comissões e prémio de assinatura)

Nícolas Castillo: 7,87 ME (passe, comissão e plano de pagamento futuros)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.