O orçamento ordinário de exploração, o orçamento de investimentos e o plano de atividades elaborados pela Direção liderada por Luís Filipe Vieira, bem como o parecer do Conselho Fiscal, para o exercício de 2020/2021 do clube, foram esta sexta-feira chumbados pelos sócios do Benfica na Assembleia Geral ordinária do clube.

Ao todo, participaram na Assembleia Geral 1505 associados, com direito a um total 37.965 votos, tendo 48,28 por cento desses votos, correspondentes a 812 votantes, ido contra a proposta da direção, enquanto 47,79 por cento dos votos (de 640 sócios) foram favoráveis às propostas apresentadas.

Houve ainda 3,93 por cento de abstenção (vinda de 53 sócios).

Não se trata da primeira vez que uma direção liderada por Luís Filipe Vieira vê uma proposta chumbada em Assembleias Gerais do Benfica. O mesmo tinha já sucedido em 2012, então com a reprovação do Relatório e Contas referente à época 2011/2012.

A Assembleia Geral desta sexta-feira decorreu em circunstâncias diferentes das habituais, face à conjuntura ditada pela COVID-19. Os sócios tiveram acesso ao conteúdo das propostas de orçamento através do site do clube e puderam submeter pedidos de esclarecimento por via digital, servindo o ato presencial no Pavilhão N.º 2 do Estádio da Luz, apenas para se proceder à votação, realizada em urna eletrónica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.