Em noite de quinta jornada no Estádio da Luz, o Benfica recebeu o Vizela num encontro que deu a vitória para as Águias. Osmajic deu o primeiro golo aos Vizelenses e Neres empatou o encontro. Já ao cair do pano, João Mário atirou para a vitória final.

Veja as principais imagens do encontro

Schmidt traz Gilberto e Pacheco promove duas surpresas

O encontro do Estádio da Luz trouxe algumas novidades de parte a parte. Roger Schmidt apostou na consistência e apenas apostou no regresso de Gilberto à lateral direita defensiva. Por outro lado, na dupla de defesas centrais, António Silva manteve a titularidade, mas desta vez ao lado de Otamendi.

Os encarnados alinharam no habitual 4-3-3 com João Mário e Rafa bastante polivalentes no ataque, mas com algumas debilidades defensivas notórias que abriram espaço às transições da equipa visitante.

Álvaro Pacheco também manteve o habitual 4-3-3, mas com duas surpresas: Alex Mendéz e Osmajic foram chamados ao 11 inicial e trouxeram ideias novas ao meio-campo e ao ataque. A equipa apresentou-se bastante agressiva na recuperação de bola e nas transições ofensivas.

Veja o resumo do encontro

Primeira parte: Surpresa de Álvaro Pacheco

Naquele que se perspetivava como uma primeira parte de clara superioridade do Benfica, a equipa do Vizela fez questão de acalmar todos os que pensavam que se tratava de 'favas contadas'. As oportunidades eram favoráveis aos comandados de Schmidt, mas a eficácia sorriu para os visitantes.

A verdade é que a equipa da casa desde o início tentou segurar a bola e apontar à baliza de Buntic. Fábio Veríssimo apitou para um Estádio da Luz motivado e aos 10 minutos Gonçalo Ramos deu logo o primeiro grande aviso. Remate de cabeça ao poste do jovem goleador encarnado que por pouco não deu o 1-0.

O jogo fazia-se entre recuperações de bolas de ambos os lados, mas as oportunidades de golo ficavam-se pela de Gonçalo Ramos... pelo menos até aos... 20 minutos.

Foi aí que a surpresa de Álvaro Pacheco se fez sentir. Osmajic, chamado ao 11 inicial pela primeira vez esta época, furou a defesa encarnada e colocou à prova algumas debilidades defensivas a corrigir por Schmidt. O remate só parou no fundo da baliza de Vlachodimos após uma assistência primorosa de Kiko Bondoso. Estava feito o 1-0 num claro balde de água fria na Luz

A partir daí foi uma luta de sobrevivência do Vizela pelo resultado. O Benfica começou a avançar linhas e, aos 33 minutos, foi o guardião Vizelense a negar o golo a António Silva. João Mário voltou a testar as redes num livre direto, mas custava a chegar o empate numa Luz já impaciente.

Os assobios contra as pausas do Vizela começavam a surgir, mas Álvaro Pacheco foi obrigado a mexer ainda antes do intervalo com a entrada de Ivanildo e Raphael Guzzo. Algumas contrariedades que ainda assim não influenciaram a vantagem no apito para o intervalo.

Segunda parte: Valeu João Mário

A segunda parte trouxe um Benfica a correr contra o prejuízo, mas um Vizela a querer lutar pelo ponto final no resultado. Osmajic continuava a ser uma dor de cabeça para o setor defensivo dos encarnados, com várias ameaças a Vlachodimos. Aos 63 minutos, Gonçalo Ramos à meia volta testou Buntic e depois chegaram as primeiras substituições. Schmidt, inconformado, fez entrar Aursnes, Musa e Bah.Álvaro Pacheco respondeu com Zohi e Alvarado.

A pressão encarnada começava a ser fulgurante e aos 76 minutos um golo de levantar o estádio. David Neres flete para o meio e, fora da área, atira um remate colocadíssimo que só parou no fundo das redes do Vizela. Um grande golo do criativo brasileiro que reestabeleceu a igualdade no marcador com o ânimo a regressar à Luz.

Os dez minutos finais eram assim ainda mais animados do que aquilo que se perspetivava. As sanções disciplinares começavam a tomar conta do encontro e o descontrolo emocional começava a apoderar-se dos encarnados. Aos 91 minutos, um dos momentos do encontro e que decerto vai marcar a semana desportiva. Gonçalo Ramos pediu uma grande penalidade e acabou... expulso por simulação. Um lance que gerou uma grande controvérsia nas bancadas e nas opiniões.

Os oito minutos de compensação acabaram por ser um autêntico filme e aos 99 minutos, mesmo ao cair do pano, Rafa conquista uma grande penalidade - mais uma vez polémica - mas com sabor doce para as Águias. A Luz gelou e depois explodiu com o 2-1 de João Mário. O médio internacional português não se conteve e tirou a camisola que acabou por ditar a expulsão.

Mesmo com 9 jogadores, fica uma vitória tirada a ferros de um Benfica que segue líder do campeonato. O Vizela desce para 12º lugar.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.