Bojinov quebrou o silêncio sobre o polémico pénalti no jogo com o Moreirense, para a Taça da Liga, que lhe garantiu um processo disciplinar e a saída do clube de Alvalade.

«O meu único problema no Sporting era com o treinador e só com ele. Paciência não foi sincero comigo», começou por dizer o jogador búlgaro em entrevista ao jornal Record. «Nesse jogo disse-nos, primeiro, que seria o Ribas, mas depois ele foi substituído e entrei eu. Ele dizia-nos que qualquer um podia marcar as grandes penalidades, se se sentisse confiante. Naquela altura eu queria marcar, queria fazer golo, porque sou um avançado e vivo disso. Só que entretanto, Paciência disse do banco para não ser eu, mas o Mati [Matias Fernandez]», explicou Bojinov.

Com o chileno, assegura, «nunca houve qualquer problema». «É um grande jogador e um amigo», o mesmo não se podendo dizer da relação com Domingos, entretanto demitido, a 13 de fevereiro, e substituído por Sá Pinto.

«Não me disse nada depois do jogo, nem quando fui para Lecce. Quando um treinador não fala com os jogadores é um problema. Disse-me que acreditava em mim, mas depois isso já não era verdade», rematou.

No jogo com o Moreirense, para a Taça da Liga, e quando o encontro estava 1-1, perto do final o Sporting beneficiou de uma grande penalidade. Matias encaminhou-se para marcar, Bojinov tomou as rédeas, afastou o chileno e…falhou, originando um processo disciplinar e o empréstimo aos Lecce.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.