Carlos Carvalhal deu uma entrevista ao 'The Guardian' onde falou da sua carreira, do seu trabalho no Rio Ave mas também do impacto da pandemia de COVID-19 no futebol português.

O técnico do Rio Ave comentou a decisão de se jogar o que resta da Primeira Liga, sublinhando que é muito importante dada a dependência dos clubes das receitas de televisão.

"Todos temos consciência dos riscos que corremos. Mas temos de salvar o futebol em Portugal. Se não jogarmos, será o caos nos clubes. Ninguém nos pressionou para jogar mas temos perfeita noção da situação. Até porque o estado de emergência terminou. A minha esperança é que, se vamos trabalhar respeitando as regras, talvez possamos dar um exemplo à sociedade", explicou.

Com as dificuldades financeiras que se avizinham no futebol, Carvalhal acredita que emblemas como o Rio Ave pode beneficiar da situação no mercado de transferências já que os clubes de maior nomeada terão de investir menos nos planteis, apostando mais em jogadores de emblemas do meio da tabela.

"Não é apenas uma questão de dinheiro mas de respeito pela sociedade. Se não há muito dinheiro, então os clubes não irão gastar muito e dar um mau exemplo. Vai ser um ano em que os clubes vão estar muito relutantes em fazer grandes transferências, logo, haverá mais movimentações de jogadores do meio da tabela", projeta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.