O Chivas - FC Porto terminou empatado a duas bolas e devia ter sido decidido nas grandes penalidades, mas tal não aconteceu. Tudo porque houve um desentendimento entre Sérgio Conceição e o árbitro do encontro. O treinador do FC Porto explicou ao Porto Canal o que se passou no final do jogo.

"O que aconteceu no final do jogo? Não sei, fui ter com o Matías [Almeyda, treinador do Chivas], com quem joguei durante muito tempo em Itália, jogámos em três clubes e ficámos amigos há 20 anos. E estava a dizer-lhe com o árbitro perto, que o lance do 1.º golo do Chivas não pode acontecer, que é ridículo. Ele pensou que eu estivesse a dizer que era ridículo o árbitro. Disse para eu sair, que já nem sequer podia assistir aos penáltis. E o Matías, como meu amigo e sabendo que se trata de um jogo de preparação, disse que então não se batia os penáltis, que não havia penáltis, se não me deixasse assistir. Viemos embora. Foi tão simples como isso. Não houve nada especial", contou o técnico, que desvalorizou a situação.

"O Almeyda e eu estávamos junto do árbitro, foi uma conversa tranquila, normal, e depois ele contou-me com todo o carinho o que se costuma passar aqui e que é mais ou menos coisas deste género. Mas penso que isso é secundário. O principal foi o que se fez dentro das quatro linhas", afirmou Sérgio Conceição.

Os ´dragões` estiveram a vencer por 2-0, com golos de Aboubakar e Otávio mas o Chivas acabou por empatar no segundo tempo. A equipa azul-e-branca sai da Taça Tecate com um empate (2-2 com o Chivas) e uma derrota por 3-2 nas grandes penalidades contra o Cruz Azul, depois de 1-1 nos 90 minutos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.