Aos poucos, Sérgio Conceição vai colocando o FC Porto a jogar como quer. Esta madrugada, os azuis-e-brancos empataram a duas bolas com o Chivas de Guadalajara, no segundo e último jogo da digressão ao México. Depois de uma boa primeira parte em que marcaram dois golos, os ´dragões` sofreram o empate, depois de várias mudanças na equipa.

No final do jogo, Sérgio Conceição elogiou a postura dos seus jogadores, mas não deixou de fazer reparos à arbitragem por causa de um dos golos dos mexicanos.

"Foi mais um jogo de preparação com coisas muito interessantes, coisas muito positivas. Outras coisas menos boas, e nesse aspeto posso falar das dificuldades dos jogadores em adaptarem-se a este clima, é sempre difícil. Já o referi, mas é uma realidade, e nota-se sobretudo em jogo, dado que acaba por ser diferente para a equipa. Quanto ao que demonstrámos hoje, fizemos dois golos, podíamos ter feito mais", começou por explicar o técnico. Conceição falou depois do lance polémico do jogo: o primeiro golo do Chivas.

"Foi um típico lance aqui no México, segundo o Matías Almeyda [treinador do Chivas], que acabou por dar um golo ao Chivas. Foi um golo ridículo. A partir do momento em que diz que é para formar barreira, a partir daí tem que fazer soar o apito. É fácil, é simples, não é preciso ser um entendido na arbitragem", explicou.

Este lance, aliado depois as mexidas e ao clima, acabaram por ditar o empate, na opinião do técnico.

"Isso reabriu o jogo, o que aliado a muitas substituições que tive de fazer, quebrou um bocadinho naquilo que vinha sendo a nossa intensidade e dinâmica que tivemos durante 70'. Tudo isto faz parte do processo da própria equipa, da sua evolução, mas estou muito contente com estes jogadores. Vamos ser uma equipa competitiva, vamos estar prontos dia 9, contra o Estoril, e aí, sem dúvida nenhuma, com toda a gente a nível físico num patamar muito mais forte do que neste momento. Mas o que vi já hoje foi uma equipa que me dá sinais muito, muito positivos", disse o técnico, ao Porto Canal.

Sobre a forma de jogar da equipa, Conceição frisou que o importante é a dinâmica e não o esquema tático.

"O 4x4x2, o 3x5x2, o 4x2x3x1, por aí fora, dependem sempre de uma dinâmica que se tem criado na equipa. Em diferentes momentos do jogo, na construção do jogo, naquilo que passa por toda a gente de uma forma organizada: defender bem, saber o que faz quando tem a bola, saber o que faz quando não tem a bola. Requer, também, tempo de trabalho, mas já tivemos contra o Chivas, em alguns momentos, coisas parecidas aquelas que eu vou querer ver no campeonato e quando entrarmos em competição. Por isso, mais uma vez volto a dizer que estou muito contente. Dentro de um ambiente difícil, e não estou a falar do ambiente do estádio, cheio de diferenças em relação ao que existe no nosso país e que nesta fase inicial nos criam muitas dificuldades", completou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.