O treinador do Arouca afirmou hoje que a vitória diante do Boavista (4-0), em estreia pelos 'lobos' na I Liga de futebol, foi o "mínimo" e pede continuidade contra o Rio Ave, na 13.ª jornada da competição.

Após um começo promissor enquanto técnico da formação da Serra da Freita, com vitórias nos dois primeiros jogos disputados, Daniel Sousa não se mostra surpreendido com a qualidade do futebol apresentado e considerou que o desafio para a receção aos vila-condenses, no domingo, passa por manter a fasquia.

"Não me surpreendeu porque a qualidade dos jogadores é óbvia, que eles conseguem colocar quando as coisas estão todas ligadas. Mas queremos dar continuidade às coisas boas, melhorar alguns aspetos e dar consistência. É isso o que nós queremos: consistência e continuidade, para que deixe de ser só naquele jogo em particular. Nós até, internamente, assumimos aquilo como o 'standard' mínimo. A nossa exigência tem de ser aquela", reiterou, em conferência de imprensa.

Os comandados de Luís Freire somam atualmente 10 pontos na I Liga, mais um do que o Arouca, e levam três jogos consecutivos sem saber o que é o sabor da derrota, mas o treinador arouquense realça, mais do que o momento atual do adversário, o trabalho que este tem desenvolvido ao longo de toda a temporada.

"É talvez o melhor momento do Rio Ave na época, mas apenas numa análise exclusiva dos resultados. Se analisarmos os jogos que eles fizeram, jogos muito importantes contra o Sporting de Braga e o FC Porto, o resultado ficou apenas definido quase no final. Há ali um jogo e uma organização de jogo muito interessante, em relação ao que eles conseguem fazer mesmo quando os resultados não estavam a aparecer", explicou.

Face à proximidade classificativa das duas equipas e ao facto de uma vitória garantir uma saída da 'cauda' da tabela, Daniel Sousa admite que o confronto "ganha outra dimensão" e o resultado final terá "outro impacto".

Ainda que a vitória folgada no Estádio do Bessa, por 4-0, tenha aberto boas perspetivas relativamente ao potencial do Arouca, o treinador recusou assumir favoritismo, lembrando que o emblema ocupa ainda o último lugar.

 "Se fosse para definir favoritos, tem de ser pela tabela classificativa e, neste momento, estamos no último lugar. Agora, há um crescendo de atitude e motivação que queremos continuar, mas o treinador do Rio Ave dirá da mesma forma, porque também vem de um contínuo de exibições e resultados que lhes interessa manter", lembrou.

Bogdan Milovanov, Mateus Quaresma, Rafael Fernandes e Pedro Moreira são ausências confirmadas para a partida, em que Weverson deverá regressar de lesão para as opções de Daniel Sousa, face às baixas nas laterais da defesa.

O Arouca, 18.º e último classificado da I Liga, com nove pontos, receberá o Rio Ave, 15.º, com 10, a partir das 18:00 de domingo, sob arbitragem de André Narciso, da associação Setúbal.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.