É com muita paixão e ódio que se constrói um dérbi no Minho quando decidem colocar um Vitória de Guimarães e um Sporting de Braga no mesmo campo, limitados por quatro linhas. Mas o entusiasmo não está apenas sobre o relvado, ele transfere-se para as bancadas do estádio.

O número de adeptos do Sporting de Braga tem crescido muito nos últimos anos, pelas brilhantes épocas conseguidas com Domingos Paciência no comando, mas, na cidade-berço, a ligação entre clube e cidade é notável.

O Sporting de Braga, que ainda não perdeu esta temporada, chegava ao D. Afonso Henriques apenas com uma vitória em Guimarães nos últimos dez anos. O triunfo ocorreu na temporada 2005/06 com Delibasic e João Tomás a construírem o resultado. E ainda não foi desta.

Com o apito inicial de Pedro Proença, a atenção centrou-se sobre os 22 jogadores em campo, vestidos de branco e vermelho, e onde o “benfiquista” Urreta podia ter feito a sua estreia com a camisola vimaranense mas o extremo uruguaio, emprestado pela equipa da Luz, lesionou-se enquanto fazia o aquecimento para o encontro.

O Sporting de Braga esteve perto do golo logo ao minuto 16, num bom cabeceamento do regressado central Ewerton mas foi a equipa da casa que fez mexer o placar no D. Afonso Henriques ao minuto 30.

Após grande passe de Faouzi para a desmarcação de Edgar, que frente a Quim, rematou por baixo das pernas do guardião arsenalista e fez o primeiro golo do primeiro dérbi minhoto da época.

No entusiasmo vimaranense, os adeptos da casa lançaram um petardo em direção à baliza de Quim, estourando muito próximo do guardião português dos arsenalistas, recusando-se, durante cinco minutos, a regressar à sua baliza, aproveitando para reclamar com os delegados da Liga das condições a que iria ficar sujeito após o sucedido.

No segundo tempo, Leonardo Jardim “lançou” o veterano Nuno Gomes, que marcou dois golos na jornada anterior, para o lugar do médio Salino mas mesmo assim o técnico madeirense saiu de Guimarães sem ver o avançado portuiguês fazer balançar as redes da baliza de Nilson.

Em vantagem por 1-0, Rui Vitória optou por uma postura mais defensiva, aproveitando para surpreender o vizinho nas transições, contando para isso com Nuno Assis que esteve muito presente na ligação do meio-campo com o ataque vimaranense.

Jardim apostou em Nuno Gomes para o ataque mas quem fez o golo do precioso empate foi Paulo Vinicius, a sete minutos do final do desafio. Num livre cobrado por Alan, Paulo Vinicius, nas alturas, desviou de cabeça para o fundo das redes.

Rui Vitória estreou-se no Estádio D. Afonso Henriques com um empate sobre o rival Sporting de Braga. Os quatro pontos que o Vitória de Guimarães tem na classificação foram conseguidos pelo ex-técnico do Paços de Ferreira.

Com este empate, o Guimarães sobe apenas duas posições para o 12º lugar enquanto o Sporting de Braga permanece na terceira posição mas a equipa de Leonardo Jardim perdeu a oportunidade de se juntar a FC Porto e Benfica no comando da tabela classificativa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.