A claque Diretivo Ultras XXI partilhou nova polémica nas redes sociais com a SAD do Sporting. A claque fala de uma alegada proibição de aquisição dos bilhetes de época, devido a vontade da administração do Sporting e ameaça mesmo avançar com um ação contra o clube.

Veja o comunicado

"A Associação DIRECTIVO ULTRAS XXI, vem informar e esclarecer publicamente os seus Associados, assim como o público em geral, sobre o mais recente e grave acontecimento, relacionado com a actividade deste grupo e, em particular, dos seus Associados:

1) Na semana anterior ao Natal, após ser lançada publicamente pela Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD a campanha “Gamebox Fase 2”, e perante o interesse manifestado por diversos Associados no sentido de adquirir este produto, a Direcção desta Associação contactou o Oficial de Ligação aos Adeptos, Pedro Alves, no sentido de apurar se, por razões logísticas, era possível centralizar numa única pessoa a compra do referido produto para diversos associados do Sporting Clube de Portugal;

2) A resposta recebida foi afirmativa, tendo sido transmitido que era necessário à pessoa em causa fazer-se acompanhar para o efeito de uma cópia do Cartão de Cidadão de cada Associado adquirente, assim como de uma declaração assinada pelo mesmo, a autorizar que a referida pessoa procedesse à aquisição, em seu nome, do referido produto;

3) No passado dia 23 de Dezembro de 2019, a pessoa devidamente mandatada pelos Associados interessados deslocou-se pessoalmente ao Centro de Atendimento localizado na Loja Verde do Estádio José de Alvalade, fazendo-se acompanhar de toda a documentação indicada e do próprio Oficial de Ligação aos Adeptos, que fez questão de estar presente para garantir que não existiriam quaisquer entraves no processo de aquisição;

4) No local, foi solicitada a aquisição, a título individual, e pelo preço integral de tabela de venda a Associados, de 142 produtos “Gamebox Fase 2” para a Bancada Sul A (“Curva Sul”);

5) A aquisição dos referidos produtos decorreu de forma parcelada atento o elevado número, correspondendo a primeira fase de aquisição a 19 “Gamebox Fase 2”, tendo todo o procedimento inerente a esta primeira fase demorado cerca de 3 horas a concluir;

6) Os Associados adquirentes receberam, momentos após a referida aquisição, um SMS emitido e enviado pelo Sporting Clube de Portugal, a confirmar a aquisição do referido produto e contendo a seguinte menção, que assume no caso contornos de perfeita ironia: “A sua presença e apoio serão fundamentais para tornar Alvalade a nossa fortaleza.”;

7) Minutos após a conclusão do procedimento sequencial de aquisição da 19.ª “Gamebox Fase 2”, e para estupefação do próprio, o funcionário responsável pelo atendimento recebeu um telefonema da Administração da Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD com instruções expressas para parar de imediato com a venda de Gameboxes para a Bancada Sul A (“Curva Sul”), não permitindo a aquisição de produtos adicionais;

8) Mais grave ainda, o referido funcionário recebeu instruções expressas para cancelar de imediato as 19 “Gamebox Fase 2” que haviam sido adquiridas pelos Associados e proceder à devolução dos montantes pagos pela referida aquisição, o que veio a suceder, não obstante os protestos da pessoa mandatada pelos Associados para realizar as referidas aquisições, de acordo com as indicações dadas pelo Oficial de Ligação aos Adeptos, quer pelo telefone, quer presencialmente;
9) A única justificação dada pelo referido funcionário, confirmada posteriormente pelo Oficial de Ligação aos Adeptos, foi o facto de os Associados do Sporting Clube de Portugal adquirentes o serem, simultaneamente, da Associação Directivo Ultras XXI;

10) Os Associados do Sporting Clube de Portugal adquirentes não receberam até ao momento qualquer comunicação do Clube ou da SAD, seja via telefone, sms ou e-mail, a informar do sucedido e a apresentar a devida justificação para o mesmo, nem tão pouco informando do cancelamento das referidas 19 “Gamebox Fase 2”;

11) Todos os referidos Associados, sem excepção, encontram-se no pleno gozo dos respectivos direitos estatutários, tendo o pagamento de todas as suas quotas regularizado e inexistindo qualquer procedimento disciplinar intentado contra os mesmos;

12) Uma vez mais, vivendo naquele que deveria ser um estado de Direito Democrático, dentro e fora do Clube, assistimos à prática de actos ilegais para com Associados e consumidores, actos esses notória e injustificadamente discriminatórios, preconceituosos e persecutórios por parte de quem lidera o Clube e a SAD;

13) Enquanto isto sucede e se impedem ilegalmente Associados do Sporting Clube de Portugal, com quotas em dia, de adquirirem bilhetes anuais para o seu próprio Estádio, comercializam-se de forma indiscriminada “packs” de bilhetes para os próximos 3 (três) jogos que se realizam no Estádio José de Alvalade, sendo 2 (dois) deles contra rivais históricos, permitindo-se que os respectivos adeptos adquiram, com desconto, bilhetes para esses mesmos jogos independentemente do sector escolhido;

14) Para quem tanto defende e apregoa a segurança e o combate à violência, estando sempre pronto para, sem qualquer prova, atacar publicamente os próprios Associados e adeptos, este facto reveste-se de uma insensatez tremenda, com consequências imprevisíveis, que fazemos questão de denunciar antecipada e publicamente, para que, depois, não sejamos os habituais “bodes expiatórios” de quem lidera os destinos do nosso Clube;

15) Em face do exposto, os Associados visados pelo sucedido reservam-se no direito de actuar judicialmente contra a Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD para serem devidamente ressarcidos dos prejuízos impostos com a sua actuação, além de se reservarem no direito de denunciarem esta situação, pelos canais próprios, ao Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal e à Mesa da Assembleia Geral do Sporting Clube de Portugal, para que iniciem os procedimentos de averiguação interna estatutariamente obrigatórios, assim como às entidades responsáveis pela fiscalização de actividades económicas e pela protecção do consumidor;

16) Não obstante, a Associação Directivo Ultras XXI, enquanto grupo de Associados do Sporting Clube de Portugal que apenas pretende marcar presença e apoiar ao máximo as equipas do Clube, tomará as medidas e assumirá as posições que, em face do sucedido, entendem ser as adequadas em solidariedade com os Associados que se viram impedidos de exercer os seus direitos e de garantirem a sua presença no Estádio José de Alvalade»

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.