Para já, a dívida do Sporting ao Sporting de Braga, depois de falhado o pagamento da primeira prestação por Rúben Amorim, não terá consequências imediatas a nível desportivo, visto tratar-se de uma situação posterior a 31 de dezembro de 2019.

Por norma, o prazo para saldar dívidas a clubes e outros agentes a tempo de a UEFA conceder a licença para as suas competições da temporada seguinte termina a 31 de março do ano corrente. Este ano, em virtude da pandemia COVID-19, o prazo foi estendido por mais um mês, até final de abril, tendo ficado em aberto novo prolongamento desse prazo, enquanto as competições se encontrarem suspensas.

Assim, como a dívida dos 'leões' aos minhotos já foi contraída em 2020, não terá implicações no que diz respeito à licença para 2020/2021. Isto no campo desportivo. Nos tribunais, fora da alçada desportiva, o atraso no pagamento e consequente acumular da dívida poderá vir a ter outras consequências.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.