Para Domingos Paciência, a equipa está melhor preparada este ano porque “houve mais estabilidade” e, com excepção da grave lesão de Quim, não se verificaram “os casos” da temporada anterior - as lesões musculares que originaram uma polémica com o anterior treinador e actual do Benfica, Jorge Jesus, e que condicionaram a participação na Liga Europa.

A lesão do ex-benfiquista, uma rotura total do tendão de Aquiles direito – “que até foi no ginásio” -, é “um ponto muito negativo” do estágio, não só pela lesão em si, mas pela turbulência que causou num lugar tão específico e “fundamental” como o dos guarda-redes.

“Com a saída do Eduardo e do Kieszek, estávamos seguros com a chegada do Quim, mas a sua lesão deixou-nos preocupados. Já temos o Marcos e vai ainda chegar outro guarda-redes para colmatar essa lacuna. Com que perfil? Queremos um substituto à altura do Eduardo, que nos dê garantias, mas não é fácil, não pode ser uma decisão precipitada”, notou, fazendo uma apreciação à situação dos vários guarda-redes.

Domingos, que fazia um balanço do estágio em Melgaço (que hoje termina com o jogo frente ao Leixões, às 17:00), disse estar “contente com o rendimento de todos os jogadores”, ressalvando, contudo, que “há ainda muita coisa para assimilar” principalmente pelos reforços, tendo revelado que alguns destes podem ainda ser emprestados.

O treinador disse esperar “mais dois, três jogadores no máximo”, sendo que um médio e um guarda-redes são as prioridades, desejos que espera que se concretizem “o mais rápido possível”.

“Entramos em competição muito cedo e quero a equipa já estabilizada e preparada no seu máximo quando for o primeiro jogo”, a 28 ou 29 de julho, a primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, cujo sorteio se realiza a 16 do mesmo mês.

O técnico disse ainda ambicionar “uma grande equipa, homogénea e mais equilibrada do que na época passada”. “Sinto que temos valor para isso, há que esperar, mas espero que seja um Braga forte”, disse.

Frisou ainda que, apesar da “responsabilidade boa” do “segundo lugar histórico” alcançado na época passada, na Liga de futebol, “a normalidade é o Braga competir com o Marítimo, o Nacional e o Vitória de Guimarães” pelas quatro primeiras posições do campeonato.

O treinador elogiou também Alan, que alegadamente tem sido cobiçado por vários clubes, entre eles, alegadamente, o Sporting, apesar de o brasileiro ter dito que não recebeu qualquer proposta dos “leões”, o que Domingos confirmou.

“O Alan tem demonstrado ser um grande profissional. É natural que as notícias que têm saído mexam com um profissional de futebol, mas ele tem mostrado ser um homem com muita estabilidade. Não é fácil, e ele disse-o, ver notícias todos os dias a dizer que oferecem 800 ou 900 mil euros por ano quando isso não é verdade”, afirmou Domingos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.