O FC Porto goleou o V. Setúbal por 5-1 e regressou à liderança da I Liga, quando faltam três jornadas por disputar.

Num tarde/noite de primavera com cheiro a verão, o FC Porto fez por se tranquilizar e tranquilizar os adeptos logo nos momentos iniciais. Em teoria, o momento era de pressão. Com o Benfica, em primeiro lugar provisório, o dragões procuravam regressar à liderança depois de a terem conquistado na jornada passada no estádio da Luz.

A noite queria-se de festa para os azuis e brancos no dia em que Pinto da Costa comemorava 36 anos de presidência. Havia muitos motivos para que tal sucedesse. O FC Porto regressava ao seu melhor onze. Marega e Soares voltavam a ser dupla no ataque. Sérgio Oliveira e Corona integravam a equipa inicial. Saíram Óliver, Maxi e Otávio. No aflito Vitória, Couceiro mexer apenas uma pedra: Entrou João Amaral para o lugar de André Pereira.

O FC Porto tinha todos os números a favor frente ao 14º classificado da 1º liga: Couceiro nunca tinha vencido o FC Porto; o Vitória tinha sofrido sempre nos jogos fora de casa nesta edição da Liga e há demasiados anos que os sadinos não venciam no covil do Dragão (em maio de 1989).

16 minutos, bem se pode dizer que foi número da noite. Foi o tempo que a equipa de Sérgio Conceição precisou para resolver a contenda e voltou a sentar-se no trono da primeira liga.

A avalanche ofensiva teve início logo a partir do apito inicial de João Pinheiro. Muito forte sobre a bola e agressivo na recuperação, o domínio traduziu-se logo ao minuto 6, com Marega a inaugurar o marcador e a fazer o 21o golo da liga, numa recarga a cabeceamento de Soares que Cristiano defendeu para a frente.

É mesmo assim. os azuis e brancos com o maliano são uma coisa, e sem ele outra. Apenas sete minutos volvidos, e numa bola parada, o FC Porto fez o segundo. Depois de um canto, Felipe cabeceou, Cristiano defendeu para a frente e Marcano, com um excelente gesto técnico, fez numa mini bicicleta, o segundo da partida. Perto de um aparente naufrágio, o Vitória deixou-se 'nocautear' ao minuto 16. Jogada de Marega que deixou para Brahimi finalizar com classe.

Abananado depois de um início trágico, o Vitória na primeira incursão à baliza de Casillas conseguiu reduzir por João Amaral. Cruzamento para Patrick e Amaral desfeiteou o guardião portista.

Com o encontro no bolso, o FC Porto ainda marcou mais um tento antes do descanso. Cruzamento atrasado de Ricardo Pereira e Corona num disparo, que ainda sofre um desvio, fez o quarto da noite.

Pós-início verdadeiramente demolidor, na segunda parte, o FC Porto sentado na vantagem, levantou o pé. Sérgio Conceição iniciou então a gestão física dos seus jogadores. Tirou Marega, lançando Óliver Torres.

Com o Dragão em festa, 45.311 espectadores presentes nas bancadas, os donos da casa ainda fizeram mais um golo. Alex Telles com um remate de pé esquerdo fez o 5-1 numa brilhante cobrança de um livre direto.

Até final, o azuis e brancos souberam gerir-se fisicamente, - ainda entrou Gonçalo Paciência para o lugar de Soares. O FC Porto construiu uma exibição segura, regressando com autoridade ao 1º lugar da Liga. Dragões passam a somar 79 pontos na Liga. Já o Vitória vai ter que suar para permanecer no escalão maior do futebol português.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.