O ex-árbitro português Duarte Gomes afirmou esta terça-feira que gostaria que o final do campeonato fosse pacífico, mas acredita que o mesmo vai ser muito ruidoso, em parte devido à cultura desportiva portuguesa.

“Eu gostava que o final do campeonato fosse pacífico, mas sei que vai ser de ruído. Não vale a pena estarmos com falsos discursos e com hipocrisias. Nós conhecemos como o nosso futebol se comporta em momentos de stress, porta-se mal em termos adicionais. O vídeoárbitro e as suas decisões são mais um motivo de ruído esta época”, disse o antigo juiz em declarações aos jornalistas após a conferência “videoárbitro: A tecnologia ao serviço da verdade desportiva”, que decorreu na Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, em Lisboa.

Duarte Gomes elogiou ainda o trabalho da Federação Portuguesa de Futebol na proteção dos árbitros que ainda se encontram em funções, deixando ainda um repto para que os adeptos portugueses não causem problemas quando se souber qual o clube se tornar campeão.

“A Federação tem protegido os árbitros e é justo que se faça este elogio de uma forma muito cabal. Os árbitros dispõem de grandes condições, têm a proteção possível. Se olharmos para o caso da Grécia – presidente do PAOK entrou com arma no relvado depois do final do jogo – nós ainda somos uns privilegiados em função das coisas desastrosas que existem. O que nós podemos esperar é, primeiro, passar a mensagem de que haja bom senso, educação, fair-play, independentemente dos resultados que aí venham”, disse o antigo árbitro internacional, acrescentando: “Apenas um clube pode ser campeão e é importante que as pessoas percebam que isso vai ser uma realidade. Espero que isto não descambe para a arbitragem".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.