O treinador do Vitória de Guimarães anteviu hoje um jogo difícil na Madeira, no domingo, diante do Nacional, na segunda jornada da I Liga de futebol, mas quer levar os três pontos para o Minho.

Depois do triunfo caseiro na ronda inaugural do campeonato, frente ao Olhanense (2-0), os vimaranenses deslocam-se ao terreno do Nacional, que teve resultado oposto na primeira jornada, tendo sido derrotado pelo Estoril (3-1).

Rui Vitória disse esperar dificuldades, considerando os insulares uma «boa equipa, com jogadores de qualidade, que se vão mantendo na equipa há já algum tempo, o que traz estabilidade», notou.

Além disso, frisou que tem «jogadores que, a qualquer momento, podem resolver um jogo».

Contudo, «como em todos os jogos», o Vitória sabe que «há uma possibilidade de vencer» e, por isso, quer trazer os três pontos para Guimarães.

O técnico alertou ainda para o facto de o Vitória continuar num processo de «reestruturação que vai durar tempo».

O objetivo é quando o clube atingir «patamares mais elevados», o faça «com mais consistência», explicou.

«Não nos cingimos apenas aos resultados do fim de semana. Temos um caminho a percorrer e estamos numa fase ainda muito inicial», reforçou.

Rui Vitória admitiu que até 31 de agosto, data do fecho de marcado, possam sair e entrar jogadores no plantel.

«Em Portugal é tudo nos últimos dias, até para apagar os impostos. Aqui e noutros clubes vamos todos estar agarrados à Net e aos jornais a ver quais são as últimas entradas e saídas dos clubes. Não podemos comprar o que queremos, temos de estar atentos ao mercado e fazer pequenos ajustes ao plantel. Há zonas em que podemos dar algum retoque porque são várias as competições e queremos competitividade interna», analisou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.