Ao minuto 27, Eder Luis inaugurou o marcador. A meio do meio-campo, o brasileiro rematou rasteiro e cruzado para o primeiro do Benfica, com a bola ainda bate num jogador matosinhense.

O Benfica entrou melhor, mais pressionante, mas sem praticar o futebol bonito, muito por culpa do relvado e da chuva que vai caindo, a espaços, mas muito intensa, no estádio do Mar.

Ao minuto quatro, a primeira oportunidade flagrante de golo para os encarnados. Pontapé de canto batido na esquerda, David Luiz cabeceia uma primeira vez, a bola sobrou para Cardozo que, também de cabeça, acerta no segundo poste.

O argentino é, de facto, o elemento desequilibrador das “águias”, a criar dores de cabeça no corredor esquerdo a Nuno Silva.

O Leixões muito compacto a meio-campo, criou sérias dificuldades à equipa de Jorge Jesus. Os pupilos de Fernando Castro Santos foram espreitando o contra-ataque. E foi num desses momentos, que o Benfica “tremeu”. Decorria o minuto 21, quando Seabra fugiu pela direita, cruzou, a defesa do Benfica aliviou mal e a bola sobrou para Fernando Alexandre, que rematou à entrada da área, com a bola a bater num jogador encarnado.

Logo a seguir, um dos momentos desta primeira parte. Di Maria isolou-se, a passe de Cardozo, e introduziu a bola na baliza, mas o árbitro assistente deu a indicação de fora de jogo, quando o argentino estava em posição regular.

Quase no final da primeira, Maxi Pereira fez falta sobre Antunes e na marcação do livre directo, Quim teve de afastar com os punhos.

O Benfica vai para o intervalo a vencer por 1-0.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.