"Recebi uma mensagem com a notícia e nem queria acreditar. Todas as recordações são óptimas", afirmou Moreira, em declarações à Benfica TV, sublinhando que, quando chegou ao Benfica, Enke estava "obcecado por aprender português".

O guarda-redes do Benfica contou que "nos estágios fazia de professor e ele de aluno", porque Enke queria aprender a "falar português em três meses".

"Recordo as suas qualidades enquanto homem. Como profissional foi do melhor que passou pelo Benfica", frisou Moreira, acrescentando que Enke era um "óptimo profissional, que treinava sempre nos limites" e incentivava os colegas. "Eu tinha 19 anos e ele incentivava-me ao máximo para continuar a evoluir".

Moreira disse ainda que "se não fosse este trágico acidente, ia ser titular no Mundial" de 2010, na África do Sul, na baliza da selecção da Alemanha.

Enke morreu numa passagem de nível em Neustadtam Ruebenberge, na localidade de Eilvese, perto de Hannover, e segundo o seu amigo e agente Jorg Neblung tratou-se de suicídio.

Internacional alemão oito vezes, Enke nasceu a 24 de Setembro de 1977, em Jena, na então República Democrática da Alemanha, e ao longo da sua carreira representou Carl Zeiss Jena, Borussia de Moenchengladbach, Benfica, FC Barcelona, Fenerbahçe, Tenerife e Hannover 96, no qual alinhava desde 2004.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.