O treinador boliviano Erwin Sanchez tornou-se esta segunda-feira a terceira ‘chicotada psicológica’ na I Liga portuguesa de futebol, após a realização de sete jornadas, ao rescindir por mútuo acordo o contrato com o Boavista.

Sanchez deixa o Boavista no 13.º lugar do campeonato, dois dias depois de o clube portuense ter sido eliminado na Taça da Liga, ao perder por 1-0 em casa com o Belenenses, que na quinta-feira anunciou a rescisão do contrato com o treinador espanhol Julio Velázquez.

O boliviano, antigo jogador do Boavista, assumiu o comando técnico dos ‘axadrezados’ em dezembro de 2015 e foi sob a sua orientação que o clube terminou a época 2015/2016 no 14.º lugar, conquistando, dessa forma, a manutenção no escalão principal.

A saída de Sanchez foi a segunda na I Liga no espaço de quatro dias, depois de o Belenenses ter rescindido com Velázquez - substituído por Quim Machado -, e a terceira desde o início da competição, que teve no brasileiro Paulo César Gusmão a primeira ‘vítima’, ao ser afastado do comando técnico do Marítimo à quinta ronda.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.