Fernando Gomes sublinhou que as honras de Panteão Nacional atribuídas a Eusébio são uma justa homenagem, por tudo o que o Pantera Negra fez por Portugal.

"Creio que, por aquilo que o Eusébio representou para Portugal, pelos anos em que representou a Seleção Nacional e o Benfica, foi um embaixador de Portugal por todo o mundo. Nesse sentido, a decisão de o trazer para o Panteão é inteiramente merecido, que venha para aqui, para o lugar onde os heróis nacionais. Eusébio foi um herói do futebol português e um herói de Portugal", disse o presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

O líder federativo recorda um homem sempre esteve disponível para ajudar, mesmo nos momentos em que a sua saúda já não o permitia.

"Todos nós conhecemos o passado de Eusébio, sempre pugnou para estar em todos os momentos, no Euro 2012 quis estar presente, mesmo quando não estava bem de saúde. Recordo-me que ele teve de regressar a Portugal depois do jogo com a República Checa num avião devido ao seu estado de saúde", contou Fernando Gomes, à margem da homenagem à Eusébio no Estádio da Luz, antes da transladação dos seus restos mortais para o Panteão Nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.