Há três temporadas apenas Tiquinho Soares deambulava por muito modestos clubes brasileiros: Cerâmica, Pelotas, Veranópolis... Este sábado foi o protagonista maior do clássico FC Porto - Sporting, com um 'bis' em 40 minutos que conquistou toda uma massa adepta e colocou o FC Porto, à condição, no topo da tabela. Alan Ruiz ainda reduziu, mas não evitou a derrota do Sporting, que ficou praticamente afastado da corrida ao título.

O mau tempo não ajudava à mobilização dos adeptos, mas ainda assim, e porque o jogo prometia ser quase decisivo para as contas do campeonato, o Estádio do Dragão ficou perto de encher, contabilizando 48,329 adeptos. E mesmo antes do apito inicial, as primeiras surpresas, com autoria dos treinadores: Soares estava no 'onze' portista e Matheus Pereira no sportinguista. Um deles acabaria por ser a estrela da noite, o outro sairia ao intervalo depois de 45 minutos de desilusão.

Ainda pouco se tinha jogado no relvado do Dragão - seis minutos apenas - e surgia já o primeiro golo do encontro. O quase sempre endiabrado Corona cruzou largo a partir da direita e encontrou Tiquinho Soares, que beneficiou do erro posicional de João Palhinha e cabeceou para o fundo das redes de Rui Patrício. A partida arrancava da melhor forma para os adeptos da casa, que gritaram a sua euforia a plenos pulmões.

Principalmente a partir do lado direito, o Leão tentava reagir à ferida infligida no arranque, sem grande sucesso. Gelson era quem mais procurava desequilibrar, mas deparava-se com uma defesa portista agressiva, sempre com dois homens a cobrirem o jovem extremo português. Matheus tentou de longe aos 18 minutos mas falhou o alvo e Rúben Semado obrigou Casillas a uma defesa fabulosa aos 28', mas o jogo já estava parado por falta do central leonino.

O ambiente estava tenso para os 'leões' e pior ficou para a equipa de Jesus aos 40 minutos. Danilo recuperou a bola, avançou e fez um passe fenomental para o arranque de Soares. E continou o 'show' do brasileiro: avançou em velocidade entre os defesas sportinguistas, contornou Rui Patrício e encostou para o 2-0 que deixou o FC Porto muito confortável na partida. Ao intervalo, era a eficácia de Soares que fazia toda a diferença.

O segundo tempo arrancou com novas tentativas de reação por parte do Sporting, que encontrava firme oposição. Aos 50 minutos, Bryan Ruiz fez um cabeceamento perigoso e obrigou Iker Casillas a uma difícil defesa a dois tempos. Sete minutos depois foi a barra a travar o remate de Adrien Silva, num lance em que Casillas estava batido.

A insistência dos 'leões' acabaria por dar frutos, embora insuficientes. Com 60 minutos jogados, Alan Ruiz, que rendera Matheus Pereira ao intervalo, dominou a bola com um pé, rematou com outro e bateu Casillas para um grande golo que reduziu a vantagem da equipa da casa.

A formação de Jorge Jesus subiu as linhas e procurou sair do Dragão com um ponto, pelo menos, mas as tentativas de Coates e Gelson passaram por cima da trave da baliza 'azul-e-branca'. Já dentro dos últimos dez minutos de tempo regulamentar, Coates voltou a ameaçar de cabeça mas Casillas impediu a tentativa do uruguaio com uma grande defesa. Já em cima do apito final, o guarda-redes espanhol do FC Porto fez uma incrível defesa e segurou a vantagem para a equipa da casa.

Os 'dragões' conseguiram assim manter a vantagem de 2-1 até ao final e assumiram à condição o primeiro lugar da classificação, com mais dois pontos do que o Benfica, que joga no domingo. Já a equipa de Jorge Jesus está quase fora da luta pelo título: tem menos nove pontos do que o FC Porto e pode ficar a menos dez do Benfica se os 'encarnados' baterem o Nacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.