O Benfica voltou a tropeçar e vê o adeus ao título praticamente confirmado. Na visita ao Estádio de São Luís, as águias não foram além do nulo frente ao Farense, que somou o seu primeiro jogo sem sofrer golos esta época na I Liga.

O jogo começou partido, mas com o passar do tempo a superioridade encarnada foi sendo visível e Darwin aos oito minutos, esteve perto do golo quando, com um remate do meio da rua, fez o esférico passar a centímetros da baliza defendida por Defendi.

Os algarvios, apesar de estarem mais à defesa, aproveitavam o contra-ataque para criar perigo quando Pedro Henrique, depois de um corte da defesa farense e de um passe de Lucca, ficou frente a frente com Helton Leite, mas viu o guardião das águias levar a melhor e defender a primeira grande oportunidade dos 'leões de Faro' aos 14 minutos.

O Benfica controlava a partida, tinha mais bola, criava mais perigo, mas tudo falhava na altura de finalizar e fazer o golo quer por culpa de Defendi, como aos 19 minutos, quando impediu o golo certo de Everton, quer por culpa própria com Darwin e Rafa a desperdiçarem boas oportunidades para desfazerem o nulo aos 25 e 36 minutos, respetivamente.

Apesar do ascendente encarnado, a verdade é que até foi o Farense a colocar a bola no fundo das redes pela primeira vez quando Licá, após passe de Lucca, atirou de pé direito para o fundo da baliza de Helton Leite aos 40 minutos. Os algarvios ainda festejaram, mas Hugo Miguel, após indicação do VAR, anulou o golo por posição irregular do jogador do Farense.

O segundo tempo começou com o Farense a pedir uma grande penalidade, pedido não correspondido por Hugo Miguel, depois de lance entre Licá e Nuno Tavares no interior da grande área. Jorge Jesus mexeu na equipa aos 54 minutos, com a saída de Darwin e Gilberto para a entrada de Waldschmidt e Diogo Gonçalves.

Aos 60 minutos, Rafa voltou a ter nos pés o golo quando, após um grande passe de calcanhar de Seferovic, deixou o ribatejano em posição de sonho para o golo, mas, na altura de finalizar tentou o chapéu a Defendi e Defendi, fazendo jus ao nome, teve uma grande intervenção e impediu o primeiro da partida.

Pizzi, que entrou para o lugar de Gabriel aos 65 minutos, foi o autor de mais uma grande oportunidade para desfazer o nulo ao tirar ao poste da baliza de Defendi aos 70 minutos. Dois minutos depois, foi Seferovic a aproveitar o cruzamento de Diogo Gonçalves para atirar por cima da baliza do Farense.

Com o tempo a passar e o marcador sem mexer, Jorge Jesus voltou a mexer aos 76 minutos com a entrada de Cervi para o lugar de Everton. O argentino entrou e viu Ryan Gauld, no minuto seguinte, a provocar calafrios às águias, com um remate de primeira a obrigar Helton Leite a esticar-se para impedir males maiores.

Num jogo em que a vitória era obrigatória, a aproximação do minuto 90 não ajudava a equipa encarnada, que se mostrava mais ‘stressada’, permitindo que o Farense surgisse a espaços para ameaçar o golo, como aos 80 minutos, com a bola a rondar a grande área e o Benfica a não conseguir tirar o perigo, valeu Helton Leite a segurar.

Os nervos não ajudaram e o Benfica passou a jogar mais com o coração do que com a razão. Aos 92', os encarnados rondaram a baliza de Defendi, mas não conseguiram finalizar da melhor forma, naquela que foi a última oportunidade da partida.

Com o empate no São Luís, o primeiro desde 2001, o Benfica fica a 15 pontos do Sporting e vê o título ainda mais longe. Os encarnados ficam ainda a quatro pontos do SC Braga e podem ver ainda o FC Porto a ficar a cinco pontos de distância, caso os portistas vençam na Madeira amanhã.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.