O FC Porto somou o quarto empate consecutivo esta temporada (terceiro na I Liga), diante de um Boavista a precisar urgentemente de sair da zona vermelha, e pode ficar a dez pontos da liderança, caso o Sporting vença na receção ao Paços de Ferreira.

A semana ficou marcada pelas mensagens de revolta dos 'dragões' com a arbitragem, e este sábado foram várias as tarjas que surgiram espalhadas pelo estádio com a palavra "Basta!". Esperava-se, portanto, uma resposta em campo que se coadunasse com a ira 'azul e branca', mas o que se viu foi uma das piores primeiras partes do FC Porto de Sérgio Conceição (reconhecida pelo próprio), que permitiu ao Boavista chegar ao intervalo a vencer por 2-0.

Os 'dragões' reagiram no segundo tempo, marcaram por duas vezes, falharam uma grande penalidade e já perto do fim o VAR anulou (bem) a reviravolta de Evanilson, com intervenção do filho de Sérgio Conceição.

Com uma linha defensiva de cinco, tal como havia feito contra o Sporting, o Boavista apresentou-se coeso a defender e perigoso a atacar. A recompensa chegou logo aos oito minutos de jogo: na sequência de um canto, Porozo saltou mais alto que todos ao primeiro poste e cabeceou para o 1-0, com a bola ainda a bater na trave e a entrar dentro da baliza.

Privado de alguns dos habituais titulares, o FC Porto estava a ter uma das exibições mais desinspiradas da época, com dificuldades em furar no último terço e em explorar a profundidade de Marega. E foi já em cima do intervalo que Ricardo Mangas fugiu na esquerda, ganhou a linha e cruzou para o desvio certeiro de Elis, que já merecia o golo depois de duas oportunidades negadas por Marchesín aos 2' e 31'.

FC Porto: Tarjas com a palavra "Basta" espalhadas pelas bancadas do Estádio do Dragão
FC Porto: Tarjas com a palavra "Basta" espalhadas pelas bancadas do Estádio do Dragão
Ver artigo

Ao intervalo, Sérgio Conceição tirou Diogo Leite, Fábio Vieira e João Mário, três jovens campeões da Youth League, e lançou Zaidu, Grujic e Otávio. O FC Porto ganhou novo fôlego e conseguiu reduzir a desvantagem ainda dentro dos primeiros 10 minutos do segundo tempo. Taremi ganhou a bola na área, após um lançamento lateral longo de Corona, e atirou rasteiro para o 2-1. A bola ainda sofreu um desvio em Porozo e enganou Leo Jardim.

Com o jogo relançado, o FC Porto foi subindo linhas, mas não conseguia ser suficientemente asfixiante, e o Boavista começou a aproveitar o adiantamento do adversário para explorar o contra-ataque. Evanilson entrou em campo e aos 82 minutos foi derrubado na área por Devenish, com Sérgio Oliveira, na conversão, a fazer o empate. Logo depois, Francisco Conceição (estreia na I Liga para o filho do técnico portista) também sofreu falta na área, só que desta vez Sérgio Oliveira acertou no poste ao bater o penálti (86′). Seria o primeiro de dois murros no estômago para o FC Porto.

Antes do apito final, um rasgo de Francisco deixou a defesa boavisteira em alvoroço, e na recarga Evanilson atirou para o 3-2, tendo ficado na retina a imagem do jovem agarrado ao pai, ambos em lágrimas, na celebração de uma reviravolta épica que acabou por não se concretizar. Depois de analisar as imagens do VAR, Manuel Mota considerou que Evanilson dominou a bola com a mão e anulou o golo, sentenciando mais um empate para o FC Porto.

O momento

Golo anulado a Evanilson: Depois de ter estado a perder por 2-0, o FC Porto festejou desenfreadamente o golo de Evanilson ao minuto 90, que praticamente garantia o triunfo aos 'dragões'. Com um papel preponderante na jogada, Francisco Conceição lançou-se a correr para os braços do pai, num momento muito emocionante que se revelou em vão. Três minutos depois, Manuel Mota invalidou o lance por indicação do VAR: havia mão do avançado brasileiro.

O melhor

Elis: Viu Marchesín negar-lhe o golo por duas vezes, antes de assinar o 2-0 a fechar a primeira parte. Veloz e venenoso a atacar, o avançado hondurenho deu muito que fazer aos centrais do FC Porto.

O pior

Primeira parte do FC Porto: "Foi uma primeira parte desastrosa da nossa parte. É preciso correr, ter dinâmica, depois da perda da bola reagir a essa perda, a transição ataque-defesa foi muito má e estávamos avisados para isso tudo. Foi a pior primeira parte desde que sou treinador, e não é desde que cheguei ao FC Porto, é desde sempre". As palavras de Sérgio Conceição dizem tudo.

Reações

Conceição 'arrasa' jogadores do FC Porto: "É pior 1.ª parte desde que sou treinador. Não dignificámos o clube"

Jesualdo Ferreira: "Estivemos a ganhar e não ganhámos. É isto que temos de ultrapassar"

Pepe: "Não jogámos como equipa. Queríamos pôr o individual em 1.º lugar, isso paga-se muito caro"

Alberth Elis: "É um empate com sabor a derrota"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.