Uma noite de fraco futebol foi o que se viu dentro das quatro linhas no relvado do Estádio do Dragão, em jogo da oitava jornada da primeira Liga e que colocava frente-a-frente o FC Porto e a Académica.

Depois de uma primeira parte deprimente, onde os lances de grande futebol não apareceram, foi na segunda parte que os 29.209 espectadores viram cinco bolas a entrar nas balizas.

O primeiro aconteceu aos 64 minutos, depois de um cruzamento de Raul Meireles e Rui Nereu ter socado a bola, Mariano cabeceia a bola para dentro da baliza dos “estudantes”.

Três minutos depois, o mesmo Mariano seria um dos protagonistas do segundo golo portista. O argentino percorre o lado direito do relvado do Estádio do Dragão e cruza para Farías, que isolado coloca as redes da baliza de Rui Nereu a balançar. Farías entrou na segunda parte para substituir o muito assobiado Rodríguez.

Apesar do técnico da Académica ter dito, em conferência de imprensa de antevisão, que um empate no Dragão “seria um bom resultado” e ter exemplificado isso dentro de campo, Miguel Pedro, aos 76 minutos, com um remate potente à entrada da área, reduz a vantagem e a ameaça pairava novamente dentro do relvado.

Até que, aos 81 minutos, e com ajuda de Guarín, que entrou para o lugar de Raul Meireles, fez um passe magistral para Farías e o argentino não desperdiçou a oportunidade e fez o terceiro para o FC Porto.

Mas a Académica continuava a jogar e, aos 91 minutos, Sougou domina muito bem na área, vira-se para a baliza e faz o segundo para a Académica e o quinto golo deste encontro.

Mesmo tendo marcado três golos, o FC Porto estava pouco inspirado. Os Dragões conquistam três valiosos pontos, que o colocam, provisoriamente, ao lado do Benfica e mais próximo do Braga depois dos minhotos terem empatado ontem frente ao Rio Ave.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.