Num comunicado publicado no seu sítio oficial, o FC Porto manifestou o seu desagrado com a nota atribuída ao árbitro do encontro entre Benfica e FC Porto.

«Não podemos deixar de manifestar perplexidade pela forma, no mínimo, leviana e pouco competente como o senhor observador Fernando Mateus avaliou a arbitragem da equipa liderada pelo senhor árbitro Duarte Gomes», pode ler-se.

A arbitragem no ‘clássico’ da Luz, em que o FC Porto assegurou o título de campeão com uma vitória por 2-1, valeu a Duarte Gomes a nota “muito bom”, já que o seu desempenho foi classificado com 4.0, numa escala de 0 a 5, sendo esta a segunda melhor avaliação do campeonato.

«O FC Porto apela à Federação Portuguesa de Futebol e à Liga Portuguesa de Futebol para tomar medidas urgentes quanto ao desempenho imparcial das equipas de arbitragem, bem como para a designação de observadores competentes», acrescenta o comunicado.

O clube ‘azul e branco’ promete ainda demonstrar, «ponto por ponto, como é falsa a avaliação», através da exibição de um filme em conferência de imprensa marcada para segunda-feira.

«Os erros de arbitragem existirão sempre e têm de se aceitar com desportivismo. O que não se aceita é os erros terem quase sempre o mesmo destinatário, como aconteceu no jogo em causa», acrescenta a nota, sublinhando que este foi «o jogo da temporada desportiva com mais erros graves de arbitragem».

O FC Porto defende que Fernando Mateus «não pode, de forma alguma, voltar a avaliar o desempenho de qualquer árbitro».

Segundo o relatório de observação, a que a agência Lusa teve acesso, «o árbitro teve um desempenho muito bom, com duas decisões cruciais de índole técnica, que tiveram influência positiva na evolução do jogo e no resultado», assinalando «bem» as duas grandes penalidades, numa partida em que foi marcada por «muitas dificuldades».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.