O FC Porto deu mostras de grande vivacidade, ao golear fora o Portimonense por 5-1, em jogo da 24.ª jornada da I Liga. Os 'dragões' mantém os cinco pontos de vantagem na liderança sobre o Benfica, que venceu o Paços de Ferreira no sábado. Moussa Marega bisou e chegou aos 20 golos na prova, igualando Bas Dost. Soares, Brahimi e Otávio fizeram os outros golos, num jogo em que Dalot, defesa de 18 anos, se estreou na Liga e logo com duas assistências. A equipa de Sérgio Conceição chegou aos 103 golos na época.

O Portimonense, que nas últimas quatro partidas para a Liga, tinha ganho três e só tinha perdido com o Benfica, queria ter uma palavra a dizer no encontro. Os algarvios queriam ser a primeira equipa a derrotar os 'dragões' em Portugal.

Conceição, com muitas problemas para fazer o onze, teve de mexer nas laterais da defesa, lançando Maxi no lugar de Ricardo Pereira e fazendo estrear o jovem Diogo Dalot na lateral esquerda, no posto do lesionado Alex Telles. Otávio ocupou a vaga do também lesionado Corona.

Tal como tinha acontecido no que restava do jogo com o Estoril da 18.ª ronda (interrompido ao intervalo e retomado na passada quarta-feira), os 'dragões' entraram muito fortes, imprimindo uma dinâmica atacante impressionante nos primeiros 20 minutos, altura em que marcaram dois golos.

Logo aos cinco minutos os azuis-e-brancos mostraram ao que vinham, com Hackman a travar o golo de Soares. Mas aos 10 minutos, houve mesmo golo: Otávio lançou Soares nas costas da defensiva contrária, o avançado brasileiro colocou de pronto na área onde apareceu Marega a encostar para o 1-0. Seis minutos depois inverteram-se os papéis, com Marega a ser desmarcado na área e a colocar em Otávio ao segundo poste para o 2-0. Era o golo 100 do FC Porto na época desportiva.

Por esta altura era a eficácia que fazia a diferença. Shoya Nakajima podia ter reduzido aos 22 mas rematou às malhas laterais, depois de isolado por Fabrício. Antes, aos 10, tinha sido Casillas a evitar o golo ao central Felipe.

Com forte apoio nas bancadas dos muitos adeptos que viajaram do Norte, mas também os do Sul que se deslocaram ao Algarve, o FC Porto ia dominando as operações, mas sempre com atenção já que o Portimonense continuava a tentar um golo que o pudesse lançar na partida. Mas a eficácia azul-e-branca ia fazendo a diferença, como mostrou Marega aos 44 minutos. Centro forte de Maxi, Marega antecipa-se a todos e encosta para o 4-0, fazendo o seu 21.º golo no campeonato.

Ao intervalo, o FC Porto tinha feito quatro remates à baliza e tinha marcado três golos. Eficácia tremenda face ao Portimonense que até tinha rematado mais. Vítor Oliveira tentou resgatar a sua equipa, lançando Wellington no lugar de Dener mas o FC Porto estava imparável. Pelas alas os laterais Maxi e Dalot davam profundidade, permitindo a Otávio e Brahimi jogarem por dentro, criando superioridade nessa zona. A pressão no homem da bola era muita, o que permitia recuperar o esférico em zona muito subida, lançando logo o contra-ataque, tirando partido da velocidade de Marega e Soares.

Diogo Dalot, titular na Liga pela primeira vez, assumiu protagonismo no segundo tempo: o jovem de 18 anos centrou de pé direito para Soares fazer o 4-0 de cabeça aos 59. Aos 66 é Brahimi que desvia para o 5-0 na área, a passe de Dalot, agora com o pé esquerdo. O jogo estava decidido.

Sérgio Conceição aproveitou para gerir o plantel, já a pensar no jogo de sexta-feira, frente ao Sporting no Dragão. Herrera, que estava à beira da exclusão em caso de amarelo, deu o lugar a Óliver. Soares, que sentiu um desconforto na coxa, saiu logo, entrando Warris para o seu lugar. Marega, que não tem tido descanso nos últimos jogos, deu o seu lugar a Hernâni.

Até ao final, a equipa azul-e-branca foi gerindo o jogo, mas sempre com os olhos na baliza contrária, na tentativa de marcar mais um golo. Houve algumas situações na área do Portimonense mas faltou decidir melhor. Mas o golo haveria de aparecer na área contrária por Lucas, a reduzir aos 92 minutos, num remate de cabeça após livre.

O FC Porto, que chegou aos 103 golos na época, fez 20 golos nos últimos cinco golos na I Liga. Apesar de todas as ausências, de jogadores nucleares como Danilo e Aboubakar, a equipa de Sérgio Conceição não abranda e vai bem lançado para o objetivo de conquistar o título. O próximo jogo é com o Sporting, na sexta-feira, no Dragão.

*Artigo corrigido e atualizado (Marega tem 20 golos e não 21, como erradamente referimos)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.