O FC Porto ascendeu este domingo, provisoriamente, à liderança da I Liga, ao golear fora por 4-0 e despromover o Nacional, em encontro da 33.ª e penúltima jornada do campeonato português.

Num encontro em que o Nacional da Madeira jogava pela fuga aos lugares de despromoção e o FC Porto pela possibilidade de subir, ainda que de forma provisória, ao primeiro lugar, até foi a equipa de Costinha a criar a primeira oportunidade de perigo.

Riascos desperdiçou uma oportunidade soberana na sequência de uma bola metida em profundidade por Marakis. Éder Militão falhou o corte de cabeça e Vaná ficou a meio caminho. Riascos apareceu com perigo na cara de Vaná, mas perante o guarda-redes acabou por atirar às malhas laterais.

Na jogada seguinte o FC Porto acabou por inaugurar o marcador. Alhassan cometeu falta sobre Otávio em zona frontal. Na cobrança do livre, à passagem dos 12 minutos de jogo, Alex Telles não perdoou e num belo remate atirou diretamente à baliza de Daniel Guimarães que não conseguiu travar o tiro certeiro do brasileiro.

O FC Porto dominava a partida e foi com facilidade que chegou ao segundo. Foi aos 28 minutos de encontro que Óliver Torres aumentou a vantagem dos campeões nacionais. Perda de bola de Alhassan, a entregar a Corona, este serve Óliver que segue para a área onde atira de pé esquerdo para o fundo das redes dos insulares.

Riascos era o mais inconformado do lado da equipa de Costinha e voltou a estar perto de marcar o golo dos insulares. Aos 41 minutos, o colombiano levou a melhor sobre Manafá, entrou na área e rematou cruzado na direção da baliza defendida por Vaná. O guarda-redes ainda se fez ao lance, mas a bola saiu ao lado e pela linha de fundo.

Em cima do apito para o intervalo, Marega teve duas oportunidades para colocar o seu nome na folha de marcadores. Primeiro, aos 44 minutos, Óliver serviu Marega que atirou uma bomba de fora da área para uma defesa vistosa de Daniel Guimarães. Depois, aos 46 minutos, o maliano rematou à meia volta, mas a bola passou ao lado da baliza insular.

O FC Porto entrou no segundo tempo a controlar o encontro e foi com tranquilidade que chegou ao 3-0. Passe longo para Marega, o maliano cruzou atrasado para Corona, o mexicano atirou de forma acrobática e fez o terceiro dos campeões nacionais.

Marega estava muito interventivo na partida, mas sem conseguir fazer o gosto ao pé. Aos 61 minutos, Otávio assistiu o maliano que atirou rasteiro e cruzado, mas a bola sai a rasar o poste mais afastado da baliza adversária.

Aos 69 minutos, Carlos Xistra assinalou falta de Felipe sobre Riascos na área e penálti para os alvinegros. Depois de conferenciar com o VAR, o árbitro vai ele mesmo visionar as imagens e acaba por reverter a decisão, mostrando cartão amarelo ao avançado do Nacional por simulação.

Rochez, que entrou no segundo tempo, esteve perto de fazer o golo de honra do Nacional da Madeira. O jogador insular aproveitou uma perda de bola de Danilo, vira-se para a baliza e remata, mas sai ao lado.

Foi já perto dos 90 minutos que o FC Porto chegou à goleada. Alhassan, em destaque pela negativa na partida, tocou com o braço na bola dentro da grande área. Carlos Xistra apontou logo para a marca da grande penalidade, decisão confirmada depois de consultar o vídeoárbitro António Nobre. Na cobrança do castigo máximo Marega não perdoou e fez o quarto dos dragões.

Com este resultado, o FC Porto subiu provisoriamente ao primeiro lugar do campeonato agora com 82 pontos, mais um em relação ao Benfica, que defronta ainda hoje o Rio Ave, em Vila do Conde.

Por seu lado, o Nacional, que somou o nono encontro consecutivo sem ganhar (dois empates e sete derrotas), manteve-se com 28 pontos e já não se pode manter na I Liga, um ano depois de ter subido, ao vencer a edição 2017/18 da II Liga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.