O FC Porto, o novo campeão nacional, venceu, este domingo, o Feirense por 2-1, em jogo da 33.ª e penúltima jornada do campeonato português, num desafio disputado no Estádio do Dragão.

Depois de se ter sagrado campeão nacional ‘no sofá’ graças ao empate entre o Benfica e o Sporting, e após uma seca de títulos que durou quatro épocas, o FC Porto, e todo um Estádio do Dragão lotado (mais de 50 mil nas bancadas), entrou para este encontro em clima de festa.

A comitiva dos ‘azuis e brancos' chegou ao recinto pouco depois das 19:00, depois de ter feito um percurso desde o Centro de Estágios do Olival, em Vila Nova de Gaia, sendo saudada por muitos adeptos durante o caminho.

Na chegada ao Dragão, a euforia instalou-se, com o autocarro que transportava a equipa conseguir ‘furar', com alguma dificuldade, pela multidão, que desde o início da tarde se começou a concentrar junto ao recinto.

Quanto ao onze inicial, Sérgio Conceição escolheu o melhor onze na receção ao Feirense, com destaque para a inclusão de Reyes na linha defensiva portista, ele que acabou por ser substituído aos 69 minutos por Oliver Torres.

Ao minuto 37, Ricardo Pereira combinou com Marega na direita, o lateral entrou na área e cruzou rasteiro, a defesa do Feirense corta em esforço, mas para os pés de Sérgio Oliveira, que acaba por rematar para o fundo da baliza de Caio Secco.

Nas bancadas, os adeptos foram fazendo a festa enquanto o intervalo não chegava, entoando alguns clássicos e algumas músicas novas, como o ‘penta ciao’, uma ‘farpa’ aos rivais benfiquistas.

O Estádio do Dragão foi, esta tarde, pequeno para a alegria azul e branca, visto que foram milhares os que ficaram do lado de fora do recinto a ‘ouvir’ o que se ia passando no palco do jogo.

Na segunda parte, ao minuto 59, o campeão nacional aumentou a vantagem, com um grande trabalho do argelino Brahimi, após passe de Aboubakar. Excelente recepção e remate de Brahimi na cara de Caio Secco a fazer o 2-0.

Aos 71 minutos, num lance entre Briseño e Hernâni, o árbitro Luís Godinho assinalou grande penalidade numa primeira instância, mas depois de recorrer ao vídeo-árbitro, acabou por retroceder na decisão. O lance anterior foi no limite da área, por isso resultou num livre perigoso, cobrado por Alex Telles, mas que não resultou em nada.

Já em tempo de compensação, o Feirense, que ainda continua a batalhar pela permanência na I Liga, diminuiu a desvantagem com um golo de José Valência, ele que saiu do banco aos 81 minutos.

O FC Porto conquistou, no passado sábado, sem jogar, o seu 28º título de campeão nacional e o acesso direto à fase de grupos da Liga dos Campeões. Os Dragões somam agora 85 pontos e, na próxima jornada, caso vençam o Vitória de Guimarães igualam o recorde de pontos (88) somados num campeonato.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.