Numa partida de alta intensidade, o FC Porto venceu o Boavista por 1-0, com um golo madrugador de Soares que fez a diferença no marcador.

Saíram os onzes no Bessa e a primeira surpresa foi a ausência de André Silva da equipa inicial. Nuno Espírito Santo fez várias alterações. Boly ocupou um lugar no centro da defesa, saiu Felipe. Danilo regressou ao miolo por troca com Rúben Neves. No espaço interior entraram Óliver e saiu Otávio. O técnico portista apresentou um 4-3-3, com um tridente ofensivo composto por Corona e Brahimi, com Soares na frente de ataque.

Nos primeiros minutos, o Boavista demorou a assimilar as alterações táticas no conjunto azul e branco e pagou a fatura ao minuto sete por intermédio do inevitável Soares. O homem do costume voltou a deixar a sua assinatura. Só não marcou frente à Juventus desde que veste a camisola do FC Porto. Após uma jogada de envolvimento, Corona cruzou para a área e o brasileiro encostou para o único golo da partida.

Após o primeiro golpe seco, os homens de Miguel Leal recompuseram-se e aumentaram intensidade ofensiva. O Boavista podia nesse período ter chegado ao empate por intermédio de Anderson Carvalho, que num pontapé de primeira, permitiu a defesa da noite a Casillas.

A partir daí até ao final da etapa complementar, o FC Porto podia ter dilatado a vantagem, mas faltou eficácia à equipa de Nuno Espírito Santo. Nesses momentos brilhou Vagner. Primeiro evitou o golo num pontapé forte de Soares, após uma grande jogada de Brahimi. Praticamente no lance a seguir, o dianteiro brasileiro isolou-se, quis fazer um bonito, mas acabou por ser parado pelo guardião boavisteiro.

Ainda antes do intervalo, houve um 'sururu' que culminou na expulsão de Nuno Espírito Santo. Talocha entrou com tudo sobre Corona, o jogador do FC Porto não gostou e gerou-se uma enorme confusão. O técnico do FC Porto acabou por colocar um dedo na cara do adjunto do Boavista Alfredo e acabou expulso. O jogador dos azuis-e-brancos acabou por sair por lesão ao intervalo.

Depois de uma primeira parte de alta intensidade, a toada manteve-se no segundo tempo. O Boavista embalou para a frente e teve ao seu dispôr a primeira grande oportunidade da segunda parte.

Ao minuto 67, o recém entrado Schembri apareceu na área e quando se preparava para rematar já só com Casillas pela frente, Marcano evitou o remate na hora H com um excelente corte.

Numa partida de parada e resposta, respondeu o FC Porto logo a seguir. Soares deixou para André André que disparou um tiro que passou ligeiramente por cima da baliza.

Para os últimos 10 minutos, as duas equipas ficaram a jogar com 10, mas devido a circunstâncias diferentes. Depois de um lance com Diego Jota (entrado na segunda parte), Nuno Henrique saiu por lesão. Ao minuto 82, Maxi Pereira recebeu o segundo amarelo e foi expulso.

Vitória suada para o FC Porto que assim mantém a diferença para o Benfica na frente do campeonato.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.