Depois de festejar o título na Luz, o FC Porto encerrou a I Liga com um triunfo por 2-0 sobre o Estoril, resultado que lhe permite estabelecer um novo recorde de pontos na prova: 91. Depois de uma primeira parte menos inspirada, os dragões colocaram-se na frente graças a um autogolo de Joãozinho, cabendo a Fernando Andrade fechar a contagem, apenas dois minutos depois de se estrear no campeonato - Cláudio Ramos, Francisco Meixedo e Rúben Semedo também foram lançados para se sagrarem campeões por direito.

Os azuis e brancos superam, assim, os registos do Benfica de 2015/16 e do FC Porto de 2017/18 (ambos terminaram com 88 pontos), precisamente no final da primeira temporada de Sérgio Conceição no Dragão.

A festa prossegue com a entrega do troféu de campeão e, depois, com a receção na Câmara Municipal do Porto.

Veja o resumo

Sérgio Conceição concedeu a Cláudio Ramos a titularidade na baliza, tendo assim os primeiros minutos para sagrar-se campeão nacional. No banco, Francisco Meixedo, Rúben Semedo e Fernando Andrade espreitavam a mesma possibilidade.

Como seria de esperar, o FC Porto instalou-se no meio-campo adversário, na expectativa de chegar rapidamente à vantagem, mas os homens do Estoril iam afastando o perigo.

Aos 19 minutos, Taremi ficou em boa posição depois de um excelente passe de Otávio, mas o remate do iraniano saiu enrolado e pela linha lateral. A seguir foi Vitinha, de fora da área, a atirar para a defesa segura de Thiago.

Com o FC Porto a criar menos oportunidades claras do que o normal, e perante a boa organização defensiva do Estoril, que ainda chegou a incomodar Cláudio Ramos, o jogo foi perdendo intensidade até ao intervalo.

A segunda parte arrancou com o golo do campeão, num lance infeliz de Joãozinho, que na tentativa de tirar a bola a Evanilson, após cruzamento de Zaidu, introduziu-a na própria baliza (48’). Euforia no Dragão, com os azuis e brancos a igualarem o seu melhor ataque (85) nos últimos 23 anos na I Liga.

Veja o golo

O golo ajudou a espevitar os portistas, que viram Evanilson (54’) e Taremi (64’) atirar à trave e o recém-entrado Francisco Conceição rematar em jeito para uma defesa sensacional de Thiago. Do outro lado, Cláudio Ramos também brilhava ao negar o empate a Mboula (74'), que apareceu solto ao segundo poste.

Na reta final, Francisco Conceição voltou a testar os reflexos do guardião estorilista, mas foi Fernando Andrade, acabado de entrar e de se estrear na I Liga, que fez o 2-0 no primeiro remate: Fábio Vieira, na zona central, abriu na esquerda e o brasileiro atirou rasteiro, fazendo a bola passar por baixo do corpo de Thiago.

Veja o golo

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.