Carlos Martins afirmou que a equipa tinha consciência de que enfrentar o Sporting iria ser «complicado», mas que entraram em campo com «a mentalidade de marcar», e ainda realça que houve «muito trabalho de equipa e por isso foram os mais fortes em campo».

O internacional português ainda admitiu que este duelo terá sido «um teste ao espírito de grupo e à coesão» da equipa encarnada.

Relativamente ao facto das opções do treinador, no que respeita à titularidade no lugar de Pablo Aimar, o médio do Benfica disse quer «sempre jogar mas os colegas também querem».

«Sabemos que temos de correr atrás do FC Porto e que não podemos perder pontos», atirou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.