Francisco J. Marques já respondeu a Luís Filipe Vieira. O presidente do Benfica acusou, este sábado, os rivais de desprestigiar a I Liga, num discurso feito no almoço oficial antes da Supertaça, entre o Benfica e o Vitória de Guimarães.

"A violência verbal, o clima de intimidação e ameaças, as suspeitas levantadas sobre todos os agentes desportivos, o absurdo de se ver um clube desprestigiar a principal competição nacional e de fazer pública exibição de informação supostamente roubada a outra sociedade desportiva - tudo isto é lamentável", disse o líder ´encarnado`.

Ora o diretor de comunicação do FC Porto não tardou a responder, utilizando a sua página na rede social twitter.

"Desprestigiar uma competição é dar cabo da nota de um árbitro, é ordenar padres, é alugar carrinhas para claques ilegais é muito, muito mais...", escreveu.

Ainda no mesmo discurso, o presidente do Benfica pediu a intervenção do Estado e do Governo, com vista à criação de uma “entidade independente e credível” que regulamente áreas em que seja necessária independência total face aos clubes do futebol português.

"Impõe-se por isso, que talvez tenha chegado o momento das entidades oficiais, do Estado e do Governo chamarem a si, a procura do encontro de uma solução que permita, que seja uma entidade independente e credível a regulamentar e gerir as principais áreas que requerem independência e autonomia face aos diferentes competidores”, disse o presidente do Benfica.

Esta declaração do líder ´encarnado` também mereceu resposta de Francisco J. Marques.

"Informação para distraídos: o Estado está a intervir no futebol português através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ", escreveu no twitter.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.