Ladeado pelo presidente, José Eduardo Bettencourt, e pelo team-manager, Miguel Salema Garção, que lhe “passa a pasta”, Costinha mostrou todo o seu sportinguismo.

“A palavra ganhar será a palavra principal e não é daqui a três ou quatro épocas, mas sim já na próxima época. Sou sportinguista ferrenho e faço um apelo aos sócios para que apoiem a equipa. O Sporting precisa de vitórias e vamos tentar já inverter a situação”, afirmou, garantindo que “o Sporting vai ter um futuro forte”.

A equipa deu ontem um passo importante na Liga Europa, ao qualificar-se para os “oitavos” depois de bater o Everton por 3-0, mas no campeonato as exibições estão abaixo do esperado, mas Costinha sublinha que “perder o quarto lugar é impensável”.

O novo director desportivo garantiu que não vai “falar todos os dias”, porque “o Sporting precisa de pessoas que trabalhem para regressar às vitórias”.

Sobre o passado Costinha recusou-se a falar, ainda que tenha elogiado o trabalho de Paulo Bento e Sá Pinto. “Não falo do passado, só me interessa o futuro e o presente”.

Costinha é o terceiro director do futebol do Sporting esta época, depois das demissões de Pedro Barbosa, em Novembro, e de Ricardo Sá Pinto, na sequência dos incidentes com Liedson, em Janeiro.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.