Gonçalo Ramos deu uma entrevista à UEFA, onde falou do seu início de temporada, dos golos na Champions, do Benfica e do trabalho com Roger Schmidt, técnico dos Encarnados.

Evolução: "Tento aproveitar ao máximo os treinos, os treinadores também me ajudam. Vejo sempre os meus jogos e o que fiz menos bem, tento ir melhorando de jogo para jogo, ver o que fiz menos bem no anterior, sem ignorar o que já estou a fazer bem. Aproveito também os meus colegas, porque estamos sempre a ajudar-nos entre todos."

Já leva quatro golos na Champions: "Tento preparar-me sempre da melhor forma e estar ao melhor nível fisicamente e isso é logo um primeiro passo para as coisas correrem bem. Depois dou sempre o máximo no treino, consegui assimilar bem as ideias do novo míster".

Bom arranque de época: "Nós sabíamos, em relação às eliminatórias, que havia margem mínima e exigência máxima. Era um objetivo de todos e jogos muito importantes para o clube, mas também eram jogos em que a adrenalina está no mais alto nível e que todos querem jogar. Acho que nem precisamos de motivação extra e estamos todos ligados ao máximo. Isso viu-se nos jogos, foi importante termos começado a época bem e não há nenhum jogador que comece a época bem sem a equipa estar bem. Isso ajudou-me e acabei por marcar e ajudar a equipa. Foi muito importante para mim."

Gosta de jogar sozinho ou com um companheiro no ataque? "A posição que prefiro e que represento melhor é de principal referência do ataque, ponta de lança, mas no ano passado foi-me pedido para jogar no apoio ao nosso ponta de lança, que era o Darwin, e também gosto. O que importa é jogar. Com a saída dele, abriu-se espaço para mim ou para outro ponta de lança jogar. Seria estranho se dissesse que não, o Darwin marcou 30 e tal golos. É muito bom agora ter a oportunidade de desempenhar a função que gosto mais."

Ajuda de Roger Schmidt: "O sistema é favorável para mim, as ideias e o que o míster me pede favorece o meu jogo. O míster também falou comigo para me orientar bem sobre aquilo que queria, o que ele via num ponta de lança que joga no modelo dele e as coisas estão a correr bem."

Até onde pode ir o Benfica na Liga dos Campeões? "A nossa ambição é querer ganhar todos os jogos, porque nós somos o Benfica. Agora estamos focados em passar a fase de grupos e só depois disso é que iremos olhar mais para cima. Não estamos a fazer contas se vamos chegar à meia-final ou à final. Se não passarmos a fase de grupos, nada disso irá acontecer."

Objetivos pessoais esta época: "Não há metas pessoais, o mais importante é ajudar a equipa e ir o mais longe possível."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.