O Conselho de Ministros aprovou hoje um decreto-lei que cria o estatuto do estudante atleta do ensino superior, alargando o universo de estudantes atletas beneficiários de direitos como alterar a data de exames ou permissão de faltas.

“Vigorando há já alguns anos um sistema de apoios aos estudantes que são atletas de alto rendimento ou que integram com regularidade seleções nacionais, é chegado o momento de alargar o apoio a outros estudantes atletas, contribuindo para a melhoria da conciliação dos planos de estudo, de treino e de competição de jovens que pretendam um envolvimento em prática desportiva no quadro da organização do desporto no ensino superior”, lê-se no comunicado da reunião de Conselho de Ministros de hoje.

Segundo o documento, o diploma aprovado vem estabelecer “direitos mínimos para os estudantes atletas de todas as instituições de ensino superior”, entre os quais “a relevação de faltas, a alteração de datas de avaliações, a prioridade na escolha de horários e a possibilidade de requerer a realização de exames em época especial”.

“O estatuto do estudante atleta do ensino superior que agora se aprova visa apoiar o desenvolvimento da carreira dupla nas instituições de ensino superior e junto da comunidade académica, promovendo a representação desportiva das instituições de ensino superior e representando um incentivo à prática desportiva neste contexto”, refere ainda o comunicado.

Uma nota do Ministério da Educação, que trabalhou o diploma em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, refere ainda que o estatuto agora criado representa um “estímulo, sem precedentes, para o envolvimento dos estudantes em atividades desportivas em representação das suas instituições do ensino superior” e que “promove um aumento efetivo do número de estudantes” a praticar desporto universitário.

“No quadro de autonomia pelo qual as instituições do ensino superior se regem, o Governo incentiva, deste modo, medidas de apoio à carreira dual, quer para atletas universitários, quer para atletas de alto rendimento e seleções nacionais. Consubstancia-se a prioridade na articulação e compatibilização da atividade desportiva com a escola, reconhecendo-se a atividade física e desportiva como parte fundamental integrante na formação do estudante, enraizando hábitos saudáveis ao longo da vida”, lê-se na nota do Ministério da Educação.

Para além do envolvimento dos dois ministérios, participou ainda no desenvolvimento do estatuto o Instituto Português do Desporto e da Juventude “no acompanhamento e caracterização dos universos desportivos”.

Segundo a nota do Ministério da Educação foram ouvidos o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) e o Conselho de Reitores das Universidades Portugueses (CRUP).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.