Em entrevista ao SAPO Desporto, José Augusto recordou José Torres, enquanto homem e jogador: “Guardo uma grande memória de Torres, do excelente jogador e homem que foi. Ele chegou no mesmo ano que eu ao Benfica. Esteve um mês a prestar provas e o Bela Guttman aconselhou logo o clube a ficar com ele. Ainda teve José Águas à sua frente durante alguns anos, mas depois foi sempre titular e foi um jogador significativo na história do futebol português”.

José Augusto revelou que ele e Torres eram “os reis da brincadeira no Benfica”. Durante a noite preparavam as “malandrices” que iam “fazer aos colegas no dia seguinte”.

Hoje em dia, José Augusto diz faltar um novo Torres ao futebol nacional: “Faz falta esse espírito de Torres ao futebol português. Ele tinha as qualidades necessárias para ter uma equipa do seu lado”.

José Torres faleceu esta madrugada, vítima de doença prolongada, aos 71 anos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.