O FC Porto venceu, este sábado, o Rio Ave por 2-1, em jogo da 20.ª jornada da I Liga, disputado no Estádio do Dragão. Jackson Martínez foi a figura do encontro pois, mesmo tendo falhado uma grande penalidade, foi o autor dos dois golos portistas.



Depois de ter vencido (1-0) o encontro da primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, frente aos espanhóis do Málaga, o FC Porto regressou ao campeonato nacional para defender o primeiro lugar, passando agora a ter três pontos de vantagem sobre o Benfica, que amanhã defronta em casa o Paços de Ferreira.



Com os defesas Mangala e Alex Sandro castigados, Vítor Pereira apostou no central brasileiro Maicon e no lateral colombiano Quiñones para os respetivos lugares.



Defour, que voltou aos treinos a cem por cento esta semana, começou o desafio frente ao Rio Ave no banco de suplentes. Izmaylov continua a agarrar a titularidade como extremo, ao lado de Varela e Jackson. No meio-campo, nada de novo, com Lucho, Moutinho e Fernando a permanecerem como titulares indiscutíveis.



Na tribuna do Estádio do Dragão esteve Hulk a assistir à vitória da sua antiga equipa. O avançado brasileiro do Zenit, que vestiu a camisola do FC Porto por quatro épocas (2008-2012),.



Os primeiros minutos de jogo apresentaram um FC Porto com muita posse de bola mas pela frente encontraram um Rio Ave muito bem organizado defensivamente, à procura das transições rápidas. E foi desta forma que a equipa de Vila do Conde chegou ao primeiro golo da partida.



Aos 38 minutos, Braga aproveitou uma desconcentração dos jogadores do FC Porto para correr em direção à baliza de Helton, fintar o guarda-redes e inaugurar o marcador.



Antes, o árbitro Artur Soares Dias assinalou grande penalidade a favor dos portistas por falta sobre Izmaylov dentro da grande área vila-condense. Na conversão, Jackson Martínez quis marcar "à Panenka" e ofereceu a bola ao guarda-redes Oblak, para desespero dos 28 mil espectadores no Estádio do Dragão.



Perto do intervalo, o árbitro portuense voltou a assinalar castigo máximo contra o Rio Ave, desta vez por mão de Marcelo na área, e aqui, o avançado colombiano não falhou, tendo atirado forte para o canto superior direito da baliza de Oblak, empatando a partida.



Na etapa complementar, já com James na equipa portista, para o lugar de Marat Izmaylov, o FC Porto voltou ainda mais agressivo do que na primeira parte, mas o Rio Ave estava determinado a segurar, pelo menos, um ponto na casa do adversário.



Vítor Pereira, decidido a mudar o rumo do encontro, apostou na saída de Lucho González para a entrada de Steven Defour que, além de segurar no meio-campo, assumiu uma postura mais ofensiva e provocadora.



Contudo, o segundo golo portista foi marcado novamente pelo colombiano Jackson Martínez que, aos 76 minutos, foi mais forte que a defesa do Rio Ave e, perto da baliza d Oblak, empurrou para o fundo da baliza, garantindo mais três pontos para os Dragões.



Recorde-se que, na primeira mão, o Rio Ave havia empatado em casa com o FC Porto a dois golos e, esta noite, esteve muito perto de o fazer. Mas em véspera de entrega dos óscares de cinema, Jackson Martínez voltou a escrever um guia para um final feliz para o FC Porto.