O treinador do Sporting, Jesualdo Ferreira, afirmou hoje que o Paços de Ferreira é favorito para o jogo de domingo, da 28ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, defendendo que o adversário está mais pressionado.
«Se formos pela diferença pontual e a posição do Paços de Ferreira, a jogar em casa, direi que o Paços é favorito, mas depois o jogo é que vai dizer e vai certificar quem foi melhor no jogo», disse o técnico, na conferência de imprensa de antevisão da partida.
Jesualdo Ferreira afirmou que a juventude do Sporting é um fator positivo, apesar de por vezes se pagar uma fatura pela falta de experiência, e explicou que espera que o adversário se sinta mais afetado por estar perto de atingir algo que nunca conseguiu, o acesso ao “play-off” da Liga dos Campeões.
«O Paços tem dois problemas para resolver. O primeiro, a forma como vão controlar a ansiedade de chegar a algo que nunca tiveram, o segundo é o Sporting e há um terceiro que é o problema que nós temos de colocar. Queremos colocar perguntas para as quais eles não tenham resposta», defendeu.
Jesualdo Ferreira, que disse que ninguém no país espera que o Benfica perca pontos frente ao Estoril-Praia, um adversário direto do Sporting na luta pela Liga Europa, deixou elogios ao adversário de domingo.
«É uma equipa que foi capaz de criar o seu processo, que ganhou identidade e há muito trabalho dos jogadores e treinador. Vamos ver se as três jornadas finais não são demasiado pressionantes. Cada vez tem mais consciência do que podem atingir e quando isso acontece é preciso haver experiência para superar a ansiedade», sublinhou.
O treinador dos “leões” admitiu que o jogo vai ser difícil para ambas as equipas, que ainda lutam por objetivos, referindo que espera que o Sporting seja melhor, apesar do mérito do Paços de Ferreira em estar terceiro lugar.
«Estar naquela posição 10 ou 12 jornadas não é difícil, mas estar 27 com o pão na boca para chegar a algo que o Paços nunca conseguiu não é por acaso, têm mérito», frisou.
O treinador do Sporting falou também sobre Viola, considerando que o avançado argentino não é o substituto de Ricky van Wolfswinkel, que na próxima época vai jogar nos ingleses do Norwich.
«Não me parece que seja alternativa para o Ricky. Sporting tem de encontrar um ponta de lança de nível. O Viola tem margem de progressão, é muito potente, mas tecnicamente tem de ser avançado e não um ponta de lança», explicou.
Jesualdo Ferreira voltou a não falar sobre o seu futuro no clube, referindo que no momento certo vai ser decidido o que é melhor para ambas as partes.
«Porque não acabar carreira no Sporting? Pode ser este ano. Já tenho idade para isso e já ganhei muita coisa. Agrada-me o consenso, é gratificante, mas todas as questões vão ter o seu tempo. O Sporting vai ter resolver a sua vida e eu também, no tempo certo vai ser comunicado o que vier a acontecer», rematou.
A terminar, quando questionado sobre as palavras do técnico do FC Porto, Vítor Pereira, o treinador “verde e branco” não se alongou em considerações.
«Normalmente quem chega ao fim em primeiro, é porque fez algo importante, mas também já vi que por vezes não é assim tão verdade. Não vou comentar», concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.