Depois da surpreendente derrota com o Gil Vicente, na Luz, o Benfica desloca-se esta quinta-feira ao reduto do Portimonense, com a mira apontada ao apuramento direto para a Champions. Questionado sobre se teria o seu lugar em risco se não chegasse ao 2.º lugar da I Liga, Jorge Jesus lembrou que tem "dois anos de contrato para cumprir".

Derrota com o Gil Vicente condicionou preparação do jogo em Portimão? "Não condicionou nada, porque nós temos que trabalhar em função dos objetivos de cada jogo, conhecendo os nossos adversários. No campeonato português está difícil ganhar pontos. Os jogos têm sido muito disputados, contra qualquer adversário. Vamos encontrar um Portimonense muito forte na segunda volta, sabemos que vamos ter dificuldades no mesmo jogo. A equipa trabalhou durante a semana, como vinha a trabalhar há mês e tal atrás, com as mesmas qualidades e confiança, penso que sabemos que o adversário está moralizado. Temos capacidade e valor para sair de lá com os três pontos. Mas vamos passar por alguns períodos complicados do jogo."

Lugar em risco se não vencer o Portimonense? "Já tive a oportunidade de dizer isto. Tenho dois anos de contrato e já falei sobre isso. Não me vou repetir. Tenho dois anos de contrato para cumprir. A primeira época está a terminar e vamos cumprir a segunda época dentro daquilo que somos capazes de fazer. Respondo diretamente a isso. A classificação que o Benfica pode ter e que acreditamos que podemos atingir é dentro daquilo que o Benfica pode fazer. Respondendo mais diretamente: o segundo lugar é uma possibilidade, não estamos dependentes de nós, mas acreditamos."

Pressão para chegar ao 2.º lugar: "Não sinto pressão, sinto é que está mais difícil. Estávamos a três, agora a seis. A pressão é sempre a mesma num clube que tem sempre de ganhar."

Mensagem que passa à equipa: "Não podemos fingir que somos cegos. Eu assumo as minhas responsabilidades, não fujo a nenhuma pergunta. Faltam 21 pontos, o Sporting tem 12 de avanço. Matematicamente é possível, mas é quase impossível. Não vou estar a vender banha da cobra. Isto não são as histórias da Carochinha. Sabemos que tanto para o FC Porto como para o Benfica vai ser muito duro, alguém vai continuar a perder pontos. Como eu disse na minha primeira intervenção, está difícil ganhar pontos. Principalmente nesta segunda volta."

Título impossível? "Não é impossível. Não tem nada a ver. Para mim, se o Benfica ganhar a Taça de Portugal e ficar diretamente apurado na Champions continua a não ser uma boa época. Os meus últimos anos no Benfica foi a ganhar tudo. Para mim, o segundo lugar e a Taça de Portugal são objetivos que não me satisfazem", terminou.

Everton em baixo rendimento: "Cada caso é um caso. Ele sabe que neste momento não está ao nível que estava no Brasil, há jogadores que se demoram a adaptar. No Brasil, todas as equipas jogam para ganhar. Em Portugal somos muito mais evoluídos taticamente, sabemos parar o jogo dos adversários, e ele tem tido alguma dificuldade nesse pormenor do jogo. Mas o que está dentro dele, eu acredito nas suas capacidades. Não acredito que seja o mesmo nestes sete jogos que faltam, mas no próximo ano será diferente. Acredito que tenho de dar o benefício da dúvida, ele se não fosse um grande jogador, não jogava na seleção do Brasil. Portanto penso que ele tem tudo para continuar a jogar ao nível dele. "

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.