Depois do jogo com o Marítimo (vitórias dos encarnados por 2-1), o técnico do Benfica não gostou da análise feita pela jornalista da Sport TV na flash interview e respondeu-lhe desta forma:

"Não tenho a mesma opinião que você. Também é natural, porque você não sabe o que é muita qualidade sobre futebol, mas pronto”, disse.

Esta quarta-feira, durante a antevisão do encontro europeu com o Lech Poznan, Jorge Jesus voltou a defender-se das críticas, já depois de o Benfica ter feito o mesmo esta manhã.

"As críticas são injustas e explico porquê. Eu respondi a um jornalista, não respondi por ser branco, por ser preto, a um cavalheiro ou a uma senhora. Eu respondi a um jornalista. Machismo? Não sei o que é isso. Tive no Brasil onde trabalhei com tantas jornalistas, com muito carinho, onde a Irene Palma de A Bola teve comigo vários dias a fazer uma reportagem. Essa carapuça para mim não me entra, mas também sei como as sociedade hoje em dia são muito mascaradas. E essa notícia é... uma notícia mascarada", disse Jesus.

As declarações deram que falar nas redes sociais, com o CNID (Associação de Jornalistas de Desporto) a considerar a resposta do técnico do Benfica "absolutamente inadequada e indigna de um dos treinadores portugueses com mais títulos".

"O CNID repudia da forma mais veemente o comportamento de Jorge Jesus. O respeito que Jorge Jesus pediu ao adversário do campo não o teve ele por alguém que fazia o seu trabalho de forma irrepreensivelmente profissional", lê-se num comunicado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.