O Benfica recebe o Sporting esta sexta-feira, no jogo grande da 13.ª jornada da I Liga. Na antevisão à partida, Jorge Jesus enalteceu o trabalho de Rúben Amorim e desvalorizou as ausências no lado dos 'leões', que não poderão contar com nomes como Coates e Palhinha.

Sucesso do Sporting e de Rúben Amorim: "O Rúben foi um jogador que trabalhou comigo durante sete anos. Naquela equipa do Belenenses, sentia que havia jogadores que poderiam dar treinadores, como ele e o Silas. Tem feito um bom trabalho e o facto de o Sporting chegar aqui, amanhã [na sexta-feira], como campeão, é demonstrativo do valor do seu treinador, mas também da equipa. As dinâmicas das equipas surgem em função das ideias dos treinadores. Este sistema utilizado pelo Rúben Amorim já era um sistema de que ele gostava como jogador. Como treinador, adaptou-o e bem. Estamos cá para fazer o nosso jogo e confiantes. Será um grande jogo."

Análise ao Sporting: "O sistema de jogo é uma coisa, as dinâmicas são outra. Isso depende das ideias individuais dos treinadores. Cada um tem ideias diferentes, independentemente do sistema utilizado ser igual. Ele gostava de jogar nesse sistema. Como treinador, adaptou-o bem e claro que estou atento às dinâmicas dele."

Ausências de Palhinha e Coates: "Coates vai estar 15 dias sem jogar, e nós temos o Lucas [Veríssimo] o ano todo [de fora]. Não me interessa quem não pode jogar no Sporting e quem não pode jogar no Benfica. O mais importante são os jogadores que podem entrar em jogo."

Ausência de Coates beneficia o Benfica?: "Não vou branquear o valor do Coates. É um jogador que tem importância, como é óbvio, coletivamente e individualmente em todas as ações do jogo do Sporting. Mas ele está fora. Isso para os treinadores e para o treinador dele já não conta muito. Temos de contar os que temos. Como falei no caso do Lucas Veríssimo. Mas não posso fingir ou tentar branquear o valor dos dois jogadores, no caso desse jogador, que tem muita importância em todas as áreas do jogo do Sporting, não tenho dúvida disso."

Mês de dezembro decisivo: "O que pode acontecer são os resultados. Sabemos que este mês há três jogos que têm decisão: Champions, Taça da Liga e a decisão da Taça de Portugal, da continuidade ou não, não é a final. Portanto, isso é um bom sinal, vamos entrar no mês de dezembro com muitos jogos que podem nos permitir ou não as continuidades nessas competições. A calendarização ajustou isso este mês, nos outros campeonatos é a mesma coisa, este ano algumas decisões ficaram para dezembro."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.