O árbitro internacional João Capela afirmou hoje que pretende que Portugal seja pioneiro junto do International Board na implementação do cartão branco, que visa enaltecer o comportamento de ‘fair-play' dos futebolistas.

O juiz, que falava à margem da assinatura dos memorandos de 16 entidades desportivas, que decorreu no Museu do Desporto, em Lisboa, considerou que este cartão branco será um veículo importante para a cultura desportiva em Portugal.

"O objetivo é promover a utilização do cartão branco para aquelas federações e associações que não o utilizam. O cartão branco é extensível para qualquer atividade desportiva, não está canalizado para nenhum desporto específico. Serve como uma forma que o árbitro tem de valorizar aquilo que são os bons comportamentos e os valores positivos do desporto", disse.

Na época passada cerca de 350 cartões brancos foram exibidos a atletas, dirigentes, treinadores e público no futebol (de formação) das Associações de Futebol (AF) de Setúbal e Leiria, no basquetebol, voleibol, corfebol, patinagem (hóquei em patins) e no deporto escolar.

"O nosso foco é começar pela base, porque a base será o futuro do desporto, sejam árbitro, dirigentes desportivos ou atletas. Em Lisboa, no futebol, começamos pelas camadas mais jovens e este ano vamos alagar para a categoria de iniciados. O nosso objetivo é que este percurso seja contínuo até ao futebol sénior", salientou.

É precisamente neste patamar que João Capela pretende fazer a diferença e chamar a atenção da FIFA para a importância deste cartão.

"Neste momento, o International Board não permite a utilização do cartão branco. Existe apenas o amarelo e o vermelho. O que pretendemos é criar bases para apresentar um projeto ao International Board no sentido de podermos ser pioneiros em Portugal numa competição profissional em utilizar o cartão branco", revelou.

No imediato, a I Liga, na próxima jornada (oitava), irá fazer uma promoção do cartão branco, visando assim promover o respeito pela conduta desportiva.

Para o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, este cartão vem assim dar maior importância ao ‘fair-play’.

"Os valores éticos assumem uma preocupação de grande importância. É necessário introduzir novas medidas nos mais jovens. O desporto é um poderoso instrumento de combate às desigualdades sociais", afirmou João Paulo Rebelo.

Além das federações e associações desportivas, também o desporto escolar e a associação CAIS vão continuar a adotar o cartão branco, pela terceira época consecutiva.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.