“As ambições são sempre crescer e os objectivos são ir longe nas [duas] taças de Portugal e na Liga. No campeonato, há equipas que lutam pela Europa e nós não fazemos parte desse lote, o mesmo se passando com o lote daquelas que lutam pela manutenção”, afirmou Jorge Costa.

Queremos, portanto, fazer um campeonato tranquilo, praticar bom futebol, chamar público ao estádio e continuar, de forma gradual e sustentada, o crescimento deste clube”, começou por afirmar o novo técnico dos “estudantes”, de 38 anos.

Jorge Costa, que sucede no cargo a André Villas-Boas, novo treinador do FC Porto, prometeu uma Académica “sempre a lutar pelos três pontos até ao último minuto” e a trazer mais gente ao Estádio.

Ainda jovem nas lides de treinador (dois anos no Sporting de Braga e dois no Olhanense), justificou o seu vínculo de assinar por dois anos como um passo em frente na sua carreira, dado a história do clube e as condições de trabalho “magníficas” que o surpreenderam pela positiva.

“Sei quais os objectivos do clube, onde quer chegar e o está a fazer de uma forma sustentada e são esses também os meus objectivos: ajudar a Académica a crescer”, sustentou ainda.

Quanto a reforços disse pretender, no imediato, um médio e um avançado, sejam contratados ou emprestados, embora esta última não seja a política do clube de Coimbra.

“Não fechamos a porta a jogadores emprestados não sendo esta a política do clube. Este é um plantel que me dá totais garantias com a grande base do ano passado, mas que não está fechado. Continua aberto a mais-valias”, reforçou.

Do Olhanense, Jorge Costa terá com ele Ferreirinha (adjunto), Ricardo Chéu (preparador físico), Virgílio Fernandes (observador) e Rui Correia (treinador de guarda-redes).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.