O espanhol Julio Velázquez explicou, em entrevista concedida à Sport TV, a saída do comando técnico do V. Setúbal. Segundo o treinador, que havia assumido o cargo de treinador principal do conjunto do Bonfim em novembro, a mesma fica a dever-se a "questões extrafutebol" e surge depois de rejeitada por parte do técnico uma proposta para a renovação de contrato.

"As razões são muito simples. Assumimos a equipa em novembro, com outra Direção, numa situação muito, muito complicada, a nível de hábitos, de dinâmica de jogo e de resultados. Ficámos muito satisfeitos, porque conseguimos mudar tudo. Entretanto, a Direção mudou e o mercado de janeiro foi muito complicado. Ainda assim, mantivemos uma dinâmica muito boa até ao isolamento. Mas, nessa fase, não gostei da forma de gerir do presidente e da Direção. Respeito-a, mas não gostei. Falaram-me da renovação, mas por diferentes questões extrafutebol decidimos que não iríamos renovar", começou por contar o treinador espanhol àquele canal televisivo.

Daí à saída definitiva, foi um passo, tendo a decisão de deixar o clube sido comunicada ao diretor desportivo do V.Setúbal após a derrota com o V. Guimarães. "Tendo em conta que não iria renovar, entendi que o melhor seria o clube encontrar um novo treinador, para conseguir a manutenção e começar a preparar a próxima época. Por respeito ao futebol, ao clube e aos adeptos, decidimos que o melhor para todas as partes seria irmos embora", explicou Julio Velázquez.

O técnico terminou com uma palavra de alento o desejo de que os sadinos acabem por garantir a permanência. "Espero que consigam os pontos suficientes para a manutenção, o clube e os seus extraordinários adeptos merecem", sublinhou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.