O Benfica alcançou no passado sábado o título de campeão nacional, mas foi afastado pelo Sporting nas meias-finais da Taça de Portugal e na Liga Europa, aqui pelo Eintracht Frankfurt. Em ambos os casos, os encarnados foram para a segunda mão em vantagem na eliminatória, mas foram eliminados e Bruno Lage considera que a equipa podia ter feito melhor.

"Nunca partimos para nenhum jogo, da segunda mão, a pensar no resultado da primeira. Não era nossa estratégia ir a Alvalade com a segurança do 2-1 ou ir a Frankfurt com a segurança do 4-2. A nossa estratégia é ir e tentar impor o nosso jogo e essa é a crítica que faço, e fiz internamente. Senti que quando tínhamos algo na nossa mão jogávamos com o travão de mão: 'calma que as coisas vão acontecer" e não aconteceram. Esse receio também foi válido para o último jogo do campeonato, o empate podia chegar. Em Alvalade começámos a jogar quando já não tínhamos as coisas seguras. Podíamos e devíamos ter feito melhor nas duas provas, mas por culpa própria", disse Bruno Lage, em conversa com os jornalistas no Seixal.

"Não podemos achar que estamos seguros quando estamos a vencer por 2-1 ou 4-2 . Com um golo as coisas mudam e perdemos o controlo das coisas. Nunca foi intenção, mas acontece. Este é um dos aspetos, para além dos táticos, onde temos de crescer, ser consistentes. Uma equipa de elite na Europa é encarar os jogos independentemente dos resultados, impor o nosso jogo e arrumar as partidas. Às vezes estava 1-0, a 2-0 e a seguir vem o 2-1.. Temos de chegar ao 3-0", acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.