Héctor Herrera foi o herói do clássico de domingo, ao marcar o golo que deu a vitória ao FC Porto no Estádio da Luz, já no minuto 90. O mexicano, recorde-se, tinha ficado mal visto depois de uma ação mal calculada que esteve na origem do empate (1-1) do Benfica no Dragão na temporada 2016/17.

Em declarações ao jornal O Jogo, Miguel Layún, lateral cedido pelos ‘dragões’ ao Sevilha, mostrou-se satisfeito com o tento do compatriota, mas considera que é preciso algo mais do que o golo.

"A justiça para o Héctor Herrera só virá quando ele carregar o troféu do campeonato e o da Taça de Portugal, porque ele tem trabalhado muito ao longo dos últimos cinco anos no FC Porto e merece ganhar pelo menos um título", defendeu o internacional mexicano.

Para Layún, foi a "genialidade” de Herrera “que resolveu um clássico de luta".

"Sempre lhe disse que tem de rematar mais vezes durante os jogos. Aquele remate foi uma demonstração de raça e do desejo dele de conseguir o título que todos procuram", acrescentou.

“As críticas não são fáceis, ainda mais quando são injustas, mas ele continuou a fazer o seu trabalho de cabeça erguida e também é por isso que é o capitão. Estou certo de que aprendeu muito e de que isso o fez crescer”, frisou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.