Miguel Azevedo Brandão disse, em conferência de imprensa, que "o objetivo é trabalhar com seriedade e honestidade" e "ter a ambição de fazer sempre melhor do que o trabalho anterior".

"No ano passado, melhorámos a prestação anterior e este ano queremos fazer o mesmo, melhorando a época que terminou ‘ontem'. É este o objetivo", afirmou.

O dirigente fez questão de esclarecer que a ambição da subida, comum a praticamente a todos os clubes no início da II Liga, nunca será desmedida do ponto de vista financeiro, em função da vontade de o Freamunde "ser um clube sério e, acima de tudo, cumpridor".

"Não podemos andar a fazer loucuras, como alguns clubes nossos concorrentes estão a tentar fazer. Não vamos gastar mais do que temos e queremos continuar no mesmo registo, de serenidade, com os pés bem assentes no chão e tentar errar o menos possível", assegurou Miguel Azevedo Brandão.

O orçamento para a nova época ronda um milhão de euros, sensivelmente os valores da temporada anterior.

O técnico Carlos Brito, por sua vez, subscreveu por inteiro as declarações do responsável máximo da SAD, defendendo que "fazer mais e melhor está sempre presente num profissional que se preze".

"Fiquei agradado com o que vi quando cheguei, pelas obras que estão a ser feitas. Desde que cá cheguei, já vejo evolução. O Freamunde teve duas épocas tranquilas e, com a quantidade de equipas que descem de divisão, isso é sempre relevante. É muito cedo para definir grandes objetivos, mas será tentar fazer melhor que na época assada", disse Carlos Brito.

Apesar do otimismo moderado, o técnico freamundense não deixou de fazer notar que, "pelo passado recente, o Freamunde é encarado como uma equipa a ter em conta neste campeonato".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.