O presidente da claque da Académica Mancha Negra, João Paulo Fernandes, colocou hoje muitas interrogações sobre as propostas de medidas de segurança, anunciadas quinta-feira pelo presidente da Liga de futebol, Fernando Gomes.

O dirigente propôs a interdição imediata do estádio se um jogo for interrompido durante mais de cinco minutos devido ao arremesso de objectos.

«Perante tais medidas, respondo com uma interrogação: se a situação se passar com dirigentes ou treinadores, também se interdita o campo», disse à Agência Lusa o dirigente da claque academista.

JP, tal como é conhecido no meio academista, opinou que «o futebol só tem razão de ser se houver adeptos» e num meio tão vigiado, as câmaras de vídeo terão um papel fundamental.

«Há câmaras de filmar em todos os recintos e elas devem ser utilizadas para identificar e punir os responsáveis pelos desacatos», acrescentou.

O líder da Mancha Negra concluiu que «numa altura de dificuldades financeiras, os clubes devem fazer tudo para atrair adeptos aos estádios e não limitar, de forma repressiva, a sua ida».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.