De acordo com o Plano de Actividades e Orçamento, a que a Agência Lusa teve acesso e que estará em votação na Assembleia Geral de sexta-feira, o organismo vai apresentar uma proposta de resolução, junto da Administração Fiscal, do processo das dívidas fiscais aos clubes pela Dação em Pagamento das Receitas do Totobola (Totonegócio).

Diz a Liga que o “final do ano de 2010 marca o momento legalmente fixado para a avaliação do procedimento acertado”.
Além disto, a Liga pretende avançar imediatamente com uma “acção concertada que vise chamar a atenção para a necessidade de regulamentação do sector das apostas desportivas na internet”.

Defende a LPFP que a “não regulação faz com que se levantem suspeitas sobre esta área de negócio e os clubes de futebol vejam consecutivamente utilizados os seus nomes, as suas marcas e os seus recursos, sem qualquer compensação”.

Apesar da redução do orçamento em 815 mil euros, a LPFP estima aumentar os custos com pessoal de 1,2 milhões para 1,5, valor no qual deve estar incluído o salário do presidente Fernando Gomes, o primeiro a ser remunerado.

O organismo que gere o futebol profissional, ainda de acordo com o documento consultado pela Agência Lusa, estima em 13,9 milhões de euros de custos.

A LPFP pretende ainda realizar a Gala Anual do Futebol Profissional para premiar jogadores, treinadores e dirigentes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.